Regulamento prevê até expulsão de escolas

Pelo regulamento atual da liga das escolas de samba, integrantes de escola que se envolverem em confusões podem levar até à desfiliação da agremiação. Em seu artigo 23, as atuais regras dizem que "comportamento inadequado por parte de qualquer dirigente ou representante da escola de samba, devidamente identificado, na concentração, dispersão, durante o desfile ou na apuração, no sentido de pressionar, ameaçar ou agredir a integridade física ou moral de algum membro da organização, LIGA, comissões, jurados, componentes da própria ou de outra agremiação" será punido. "No caso de comprovação de tal comportamento, a escola de samba será sumariamente eliminada do concurso, com a consequente desfiliação",

O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2012 | 03h01

A última confusão na apuração ocorreu em 2010, quando integrantes da Gaviões arremessaram cadeiras e mesas contra a comissão organizadora, após notas ruins serem anunciadas para o enredo dos 100 anos do Corinthians. A escola chegou, na sequência, a proibir a ida de foliões à apuração, mas não houve nenhuma sanção mais severa por parte dos organizadores.

No caso mais grave, em 2003, um tumulto provocado pelo bloco Independente - da maior torcida uniformizada do São Paulo - resultou na morte de Ruy Nogueira, carnavalesco da corintiana Pavilhão 9. A Independente foi expulsa do carnaval. Procurada, a SPTuris informou que caberá à Liga julgar o caso atual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.