Regra de pontos absurda

UPGRADE DE ASSENTO PARA CLIENTE FIDELIDADE TAM

O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2012 | 02h03

Como cliente Fidelidade Vermelho TAM, com mais de 2 milhões de pontos acumulados durante anos, liguei à empresa para saber como fazer upgrade para a classe executiva de um voo para Berlim. A atendente me induziu a fazer a emissão em tarifa econômica cheia, pois, segundo ela, seria mais fácil o upgrade usando 20 mil milhas por trecho. Desconfiado, consultei o site da TAM e vi que os pontos necessários de ida e volta na classe executiva eram 40 mil. Vendo isso, paguei R$ 9.095 pelas duas passagens econômicas cheias. Comecei a checar pelo site e telefone se seria possível o upgrade. Fiz isso por meses. Para cada trecho, pediam 180 mil pontos. Para duas pessoas, ida e volta, seriam 720 mil pontos (no site diziam ser necessários 80 mil pontos). Pedi para entrar na lista de espera do upgrade com 40 mil pontos, e fui informado de que não existia essa lista. Chegando ao check-in no dia do voo fui encaminhado à loja TAM para verificar a possibilidade de upgrade. A única solução foi pagar R$ 840 a mais por esses assentos "conforto". Joguei fora o cartão fidelidade TAM.

FELIPE LUNA / SÃO PAULO

A TAM informa que entrou em contato com o sr. Luna para esclarecer que o upgrade com pontos é feito com base na tarifa integral (sem desconto). Os voos internacionais têm critério diferente para a emissão de bilhetes e reserva de passagens. Por isso, para a emissão e upgrade de classe, os lugares com pontos são limitados. Na ocasião da viagem, a tarifa para upgrade com pontos não estava disponível.

O leitor diz: A TAM continua com o seu imenso trabalho de estelionato de clientes, mesmo os mais fiéis.

MORADORES DE RUA

Túnel Noite Ilustrada

Cerca de 15 usuários de drogas vivem dentro do túnel Noite Ilustrada, que passa embaixo do cruzamento entre as Avenidas Paulista e Consolação. Essas pessoas correm grave risco de vida e de causar acidentes. Como faz parte de meu percurso, já informei a Polícia Militar, via 190, mais de 6 vezes, e já telefonei para o 153 da Guarda Civil. Mas nada foi feito para retirá-los de lá. No dia 14 de novembro, por exemplo, jogaram uma pedra contra o meu para-brisas.

ANA BEATRIZ / SÃO PAULO

A Secretaria Municipal de Assistência Social esclarece que atua diariamente na cidade com abordagens e encaminhamentos, por meio de orientadores sociais do Projeto Atenção Urbana. A finalidade é propiciar a saída do morador em situação de rua da região e promover o retorno ao convívio da família e da comunidade. O trabalho é socioeducativo, consiste na identificação, aproximação, escuta e encaminhamento das pessoas que aceitam ir para a rede de proteção social. A maioria dos cidadãos abordados recusa o atendimento e não se pode obrigá-la a aceitar os serviços.

A leitora comenta: Achei a resposta insuficiente. Este órgão precisa "convencer" estas pessoas a sair do meio da pista? Falta bom senso.

SITE DA PREFEITURA

8 meses para 'agendar'

O serviço de fiscalização da Prefeitura é realmente muito lento! Fiz uma reclamação no site sobre uma calçada escorregadia, em 2 de fevereiro, e até hoje nada foi feito. A calçada fica na Rua Joaquim Távora, na altura do 832. Ao checar no site, descobri que no item providências, a informação é de que o serviço está agendado para posterior deliberação e fiscalização. Afinal, para que serve o site para denúncia/solicitação de providências, se eles levam mais de 8 meses para "agendar" a fiscalização?

CRISTIANE MARIA DA SILVEIRA MAGALHÃES / SÃO PAULO

A Subprefeitura Vila Mariana esclarece que a calçada da Rua Joaquim Távora já foi regularizada

A leitora desmente: Nada mudou. Nem no site!

BENEFÍCIO À FLUIDEZ

Medida prejudica pedestre

A carta da sra. Fernanda Lino (28/11) está totalmente certa e ela tem toda a razão. O tempo de travessia de pedestres pelas ruas do Itaim Bibi citadas por ela foi reduzido e, ao contrário do que diz a CET, ficou muito perigoso. Se a intenção da CET é mesmo proporcionar mais segurança ao pedestre, esta resolução causou justamente o contrário. Atravessar a Av. Santo Amaro, na esquina com Juscelino Kubitschek, é uma tarefa árdua para qualquer um, até para bem jovens. É até indecoroso a CET dar a resposta que deu. Como sempre a CET pune o pedestre e facilita a vida dos veículos motorizados, apesar da campanha. Tudo em nome da fluidez do trânsito, quando o que se deveria fazer é diminuir as vantagens de usar carro.

MARIA TEREZA MURRAY

/ SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.