Registros de celulares colocam PMs suspeitos de matar juíza no local do crime

A Polícia Civil do Rio descobriu, por meio de análise de registros de sinal de celular, que os três PMs suspeitos de matar a juíza Patrícia Acioli se reuniram na rua da vítima um mês antes do crime. Ela foi assassinada com 21 tiros em 11 de agosto, quando chegava em casa, em Niterói.

, O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2011 | 00h00

Os dados, divulgados ontem pelo Fantástico, mostram que o tenente Daniel Benitez e os cabos Sérgio Costa Júnior e Jefferson de Araújo Miranda ficaram das 19h43 às 20h09 de 11 de julho na Rua dos Corais. No dia do crime, Lopes e Costa estavam no Fórum de São Gonçalo, onde a juíza trabalhava.

Também foram reunidas imagens de câmeras de vigilância do trajeto da juíza entre o fórum e sua casa. As gravações mostram que Patrícia foi seguida por dois homens em uma moto, os supostos assassinos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.