Registrar todos os fatos criminosos é obrigação de policiais

ANÁLISE

GEORGE MELÃO, O Estado de S.Paulo

02 Maio 2013 | 02h02

O policial tem a obrigação de registrar o boletim de ocorrência e encaminhá-lo para dar início às investigações. Infelizmente, a demanda é muito grande. Geralmente, registra-se o boletim de ocorrência de tentativa de roubo, mas não há estrutura para investigar todos os casos. No caso do dono da academia, se realmente houve falta de atendimento quando ele comunicou a tentativa de roubo, o policial que o atendeu cometeu o crime de prevaricação. Ele deixou de realizar sua obrigação.

Se houvesse uma estrutura adequada, esses criminosos poderiam até ter sido presos. A vítima, neste caso, foi vítima três vezes: sofreu a primeira tentativa de roubo, foi vítima de um descaso da polícia e ainda foi assassinado. A falta de comunicação de crimes, mesmo os menores, faz com que muitos bandidos fiquem impunes. Nós, policiais, temos a obrigação de registrar todos os fatos criminosos que chegam a nosso conhecimento.

Com latrocínios, até pela falta de estrutura, a investigação muitas vezes é falha. Mas podemos notar que nos crimes que deram repercussão o resultado apareceu. É necessário que o crime vá para a mídia? Não, todos deveriam ser tratados de forma igual.

* GEORGE MELÃO É PRESIDENTE DO SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO (SINDPESP)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.