Região Norte é a que mais reclama de trânsito

Segundo pesquisa do Ipea, moradores do Sudeste, por sua vez, são os mais insatisfeitos com transporte coletivo

Renato Machado e Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2011 | 00h00

Nem São Paulo nem Rio nem Minas. Os brasileiros que mais reclamam dos congestionamentos vivem na Região Norte do País. Cerca de 26% dessa população enfrenta problemas no trânsito mais de uma vez por dia, segundo o Sistema de Percepção Social (Sips), do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), apresentado ontem.

Os números mostram que 66% dos brasileiros - independentemente da região onde moram - sofrem com congestionamentos. O índice do Norte fica acima de regiões onde estão as principais metrópoles, como a Sul, que aparece em segundo (21,9%), e a Sudeste (21,6%).

Uma das explicações para isso é que se trata de uma pesquisa amostral, que mede justamente a percepção das pessoas em relação a determinado fator. Por isso o trânsito em Manaus, por exemplo, pode ser menor do que o da capital paulista, mas a percepção dos moradores pode ser mais intensa em relação ao seu modo de vida.

"Talvez, se houvesse uma diferenciação entre cidades grandes e pequenas, o resultado poderia ser diferente. Mas, ao analisarmos uma região inteira e com base na percepção das pessoas, é esse o cenário", diz o presidente do Ipea, Marcio Pochmann.

Os moradores do Norte também são os mais atingidos quando se analisa quem enfrenta um congestionamento por dia. Cerca de 19% se consideram nessa situação, ante 16,3% do Centro-Oeste, 16,2% do Nordeste, 15,5% do Sudeste e 14% do Sul.

Quando analisado o meio de transporte, a pesquisa mostra que os brasileiros que mais usam os carros são os da Região Centro-Oeste (36,5%), seguido pelos da Sul (31,7%) e depois Sudeste (25,6%).

Por outro lado, a Região Sudeste é onde os moradores mais dependem do transporte coletivo. Dados do Ipea mostram que 50,7% da população está nessa situação. Na sequência, aparecem o Sul (46,3% da população) e o Norte (40,3%).

E quem mais usa transporte público é também quem mais reclama. Moradores do Sudeste são os mais insatisfeitos com a qualidade e 45,9% acham "ruim" ou "muito ruim". Índice parecido foi registrado no Norte (45,8%), seguido pelos moradores do Nordeste (36,8%).

Para contrapor transporte público e individual, o presidente do Ipea mostrou dados de crescimento da frota de automóveis do Denatran - passando de 19 milhões para 36 milhões no País. Enquanto isso, a frota de ônibus aumentou de 262 mil para 447 mil. "Uma das preocupações é chamar a atenção para a inadequação desse modelo que temos hoje no Brasil voltado para o automóvel", diz Pochmann.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.