Reforma traz mais transparência à rede municipal

A apresentação dos resultados da consulta pública ao programa Mais Educação São Paulo trouxe algumas boas notícias. Entre elas está uma maior transparência para todos os envolvidos no processo de ensino e aprendizagem. Em alguns momentos, deu-se uma autonomia excessiva às escolas, permitindo que elas agissem ao seu "bel-prazer", o que acabou quebrando o conceito de rede. A implementação de diretrizes para todas as unidades fortalece a rede. Trazer o boletim de volta não é regredir a uma escola de 20 ou 30 anos atrás. Pelo contrário. O boletim é importante e aumenta a responsabilidade de pais, alunos e professores.

ANÁLISE: Mozart Neves Ramos é membro do conselho nacional de educação e diretor do Instituto Ayrton Senna, O Estado de S.Paulo

11 de outubro de 2013 | 02h04

As mudanças certamente também trarão uma melhora significativa na valorização da aprendizagem. Fazer provas, lição de casa, recuperação intensiva nas férias e também durante o período letivo, se bem executadas, não devem ter outro efeito senão uma melhoria da aprendizagem dos alunos.

Por fim, deve ser observada a contratação de 3 mil docentes temporários. A solução pode virar alvo de críticas, mas, se encarada como um estágio probatório, trará vantagens para a rede. Se a seleção de profissionais for bem feita e se forem criados mecanismos de incentivo e de formação, preparando-os adequadamente à sala de aula, a temporalidade pode ser um mecanismo interessante de descoberta de novos talentos para as escolas da rede municipal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.