Reforma da Dutra vai durar meses

Oitenta metros da pista sentido Rio cederam no domingo; engenheiro disse que reconstrução não tem prazo

Ana Bizzotto

02 Fevereiro 2010 | 04h19

MORRO ABAIXO - Chuva encharcou terreno e provocou o deslizamento; desde o dia 25, o trecho estava sendo observado pela concessionária

 

A pista sentido Rio da Via Dutra vai continuar totalmente interditada entre os km 196 e 199, em Arujá, na Grande São Paulo, por tempo indeterminado. O trecho foi interditado na manhã de domingo por causa da queda de encosta no km 197, que abriu um buraco de 80 metros de extensão. O tráfego segue em mão dupla na pista sentido São Paulo. A intervenção pode demorar meses porque a pista no trecho terá de ser reconstruída.

 

"É o tipo de obra que demora bem mais do que quatro meses", afirmou o engenheiro da concessionária NovaDutra Henrique Bekis. "É uma obra complexa, temos de avaliar qual é a melhor alternativa. Serão feitas sondagens no solo para verificar a resistência e a estabilidade do terreno. A partir daí, será elaborado um projeto, e só então será possível estabelecer um prazo."

 

A queda de encosta foi provocada pelas fortes chuvas que atingiram a região e encharcaram o solo. Segundo Bekis, o local estava sendo monitorado desde o dia 25, quando uma trinca de 2 milímetros foi identificada. Na quarta, quando a trinca aumentou para 2 centímetros, a concessionária decidiu iniciar obras para conter o terreno - um muro de contenção similar já havia sido feito anteriormente, a poucos metros do buraco.

 

Desde sexta-feira, a faixa da direita foi fechada, e três estacas de 22 metros já haviam sido colocadas. No sábado, a pista cedeu 8 centímetros e, no domingo, desabou totalmente, derrubando até as estacas. "Quando vimos que começou a ceder, deixamos a operação montada. Logo que caiu a encosta, interditamos a pista e desviamos o tráfego", explicou Bekis. Além dos 80 metros do buraco, a NovaDutra retirou terra em trechos de 20 metros de cada lado, para aliviar a pressão e evitar novos deslizamentos.

Uma interdição parecida foi feita no km 102 da pista sentido São Paulo, em Pindamonhangaba, onde houve queda de encosta no primeiro dia do ano. Como as obras de contenção ali já estavam mais adiantadas, a faixa da esquerda pôde ser liberada em poucos dias - a da direita segue interditada naquele trecho.

 

TRÂNSITO

 

A NovaDutra informou que deve liberar hoje a terceira faixa e o acostamento da pista sentido São Paulo entre os km 196 e 199 para agilizar o tráfego. Ontem, mesmo com o gargalo provocado pela interdição, houve lentidão apenas nos 3 quilômetros do desvio. O proprietário de chácaras Sergio Murilo Dantas, que mora em Arujá e vai todas as manhãs a São Paulo, levou 20 minutos a mais para chegar à capital. "Vou passar a sair mais cedo de casa." O motorista Edmilson Alves, que faz o trajeto de São José dos Campos a Arujá diariamente, também lamenta. "Se não parar de chover, vai continuar caindo barranco."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.