Reforço básico na segurança exige investimento de R$ 3 mil

Dica é usar alarmes e monitoramento online; para evitar ataques a portões, basta instalar painéis de metal

O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2012 | 03h03

Transformar a casa em uma verdadeira fortaleza antifurto, com instalação de quarto do pânico e guarita de vigilância 24 horas, requer investimento superior a R$ 30 mil, mas reforçar a segurança apenas com alarme e sistema de câmera com acesso à internet sai por 10% do valor, e dá resultado.

Alarmes mais sofisticados podem ser programados até para enviar torpedos aos proprietários, caso sensores de presença detectem abertura de porta ou arrombamento de janela. Eles podem funcionar em conjunto com equipes de monitoramento motorizadas, que vão ao imóvel constatar se houve de fato uma invasão e acionam a polícia. Na média, o serviço custa R$ 400 por mês.

Já o sistema de videomonitoramento permite que o próprio dono do imóvel exerça o papel de vigia, e a distância. Circuitos de câmeras instaladas nas partes externas e internas da casa com acesso direto às imagens pela internet permitem a ação mais rápida da polícia.

"Se as imagens mostram que há um ladrão na casa, o proprietário liga para a polícia imediatamente e consegue até interromper o furto", diz Jorge Lordello, especialista em segurança pública e privada. Os preços dos kits variam de acordo com a qualidade da imagem e a capacidade de zoom. Geralmente, são encontrados a partir de R$ 1 mil. "Mas os equipamentos têm de gravar e funcionar adequadamente. E não adianta colocar uma câmera falsa no muro."

Para quem quer impedir o acesso de ladrões ao motor do portão automático, painéis simples de metal cumprem bem a função. O mecanismo custa cerca de R$ 150 e pode ser instalado em poucas horas. O chaveiro Davi Tavares, de 42 anos, que atende bairros na região de Moema, na zona sul, afirma que os pedidos aumentaram nos últimos dois meses. "Já instalei seis painéis desse tipo apenas no Planalto Paulista. E não é só o morador que foi furtado que pede pelo sistema. Tem gente que coloca como forma de prevenção", diz.

Travas e controles digitais. A lista de "acessórios" inclui ainda travas extras que abrem e fecham juntamente com o portão, e são acionadas pelo mesmo controle remoto. Custam R$ 300 e substituem cadeados instalados normalmente na parte inferior. O mercado possibilita ainda transformar o controle remoto analógico em digital, impedindo sua clonagem por quadrilhas especializadas. /A.F. e W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.