Reduzir riscos tem sido uma estratégia do governo federal

ANÁLISE: Renée Pereira

O Estado de S.Paulo

07 Maio 2013 | 02h06

A decisão do governo paulista de reduzir os riscos da Linha 6 do Metrô para atrair mais investidores tem sido uma estratégia comum no governo federal nas últimas concessões - e PPPs - do setor de infraestrutura. Um caso exemplar é o projeto bilionário do trem-bala, que custará quase R$ 50 bilhões. Após duas tentativas fracassadas de leiloar o empreendimento, que ligará Campinas, São Paulo e Rio, o governo decidiu assumir todo o risco do negócio (demanda, ambiente e desapropriação) para pôr o projeto de pé.

Ao contrário do que ocorreu no leilão da segunda etapa de concessões rodoviárias, em 1997, e em disputas na área de energia, em que os participantes fizeram ofertas agressivas, hoje os investidores estão mais arredios. Talvez porque saibam que o governo federal depende deles para turbinar investimentos no País e também porque o dinheiro atualmente está mais curto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.