Reprodução
Reprodução

Rede social pode levar a grupos de extermínio

Polícia rastreia suspeitos através de redes; no Facebook, página de 'Admiradores da Rota' tem mais de 100 mil pessoas

O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2012 | 02h12

O delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro, disse que as redes sociais estão sendo usadas pela polícia como fontes de informação para rastrear suspeitos de participarem de grupos de extermínio na recente onda de violência na Grande São Paulo.

Na página do Facebook dos Admiradores da Rota, por exemplo, que tem mais de 100 mil seguidores, policiais militares mostram o rosto com mensagens explícitas de apologia à violência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.