Rede particular decide adiar a volta às aulas

A greve parcial da Polícia Militar na Bahia vai atrasar a volta às aulas na rede particular de ensino do Estado. A direção do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado da Bahia (Sinepe), que representa 450 instituições, emitiu um comunicado recomendando às escolas que não iniciem o ano letivo enquanto durar a paralisação.

O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2012 | 03h01

A maior parte dos grandes colégios de Salvador aderiu à recomendação. É o caso das duas mais tradicionais instituições de ensino da cidade, os Colégios Marista e Antônio Vieira, que avisaram seus alunos no fim de semana sobre o adiamento do reinício das aulas.

"Enquanto eu não tiver certeza que minha filha vai estar segura, ela não vai (à escola)", afirma o engenheiro Almiro Sanches, pai de uma estudante de 9 anos. "Nossa preocupação é com a segurança no trânsito dos alunos", justifica o diretor educacional do Colégio Anchieta, Antonio Bamberg.

Para o governo, porém, não há motivos para adiamentos e a rede estadual vai iniciar o ano letivo hoje, como planejado. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, PMs não grevistas e integrantes das Forças Armadas que reforçam o policiamento na Bahia vão ser responsáveis pela segurança. /T.D. e D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.