Rede de fraude em ônibus desvia R$ 800 mil em Ribeirão Preto

Motoristas utilizavam cartões alugados de idosos e deficientes, que não cobra passagem, para embolsar tarifa

Brás Henrique, O Estado de S.Paulo

12 Março 2009 | 16h55

A Polícia Civil de Ribeirão Preto descobriu um esquema de fraude contra as empresas permissionárias do transporte coletivo urbano que pode ter desviado cerca de R$ 200 mil mensais, nos últimos quatro meses. Pelo menos três motoristas das próprias empresas e sete revendedores ambulantes de passes foram detidos na quarta-feira, 11, mas dezenas de pessoas ainda serão investigadas. Os motoristas usavam os cartões comprados ou alugados de aposentados e deficientes (que não pagam tarifa) e estudantes (que pagam metade). Eles embolsavam o dinheiro (R$ 2,20 por tarifa) nos ônibus, pois passavam os cartões especiais nas catracas para liberar os passageiros, e não o cartão cobrador. Usuários de transporte urbano fizeram denúncias à Polícia Civil e às empresas. Nos últimos dias, investigadores foram infiltrados nos ônibus e constataram as fraudes. Na tarde de quarta, o motorista Marco Antonio Mendes, de 44 anos, que trabalha há 13 anos na Turb, foi detido com R$ 345 (alegando que R$ 214 era dele) e sete cartões de idosos, deficientes e estudantes. Com o uso de apenas três cartões, usados 100 vezes num período de trabalho, a fraude foi de R$ 220.  Outro motorista detido, que negou participação na fraude, embora portasse dois cartões especiais, informou à polícia que o esquema envolve muitos motoristas. Os dez detidos foram liberados, mas vão responder inquérito por apropriação indébita qualificada, que prevê pena de um a seis anos de reclusão. "Dezenas de motoristas estão envolvidos no esquema e vamos aguardar um relatório detalhado das empresas para continuar a investigação", disse o delegado do 1º DP, Luiz Geraldo Dias. O relatório especificará os nomes dos motoristas fraudadores, de cartões usados por eles, as quantidades de passagens usadas e até os horários. Para burlar a fiscalização das empresas, eles trocavam os cartões entre si, para uso em diferentes linhas - foi assim que foram flagrados e detidos. Dias acredita que a fraude ocorreu nos últimos quatro meses, mas as empresas estimam num prazo maior: um ano. "Isso nos surpreendeu, por se tratar de envolvimento de funcionários", comentou o assessor especial da Associação das Empresas de Transporte Coletivo de Ribeirão Preto (Transurb), Marcelo Rosa. A associação representa as empresas Turb, Transcorp e Rápido d'Oeste. Há mais de dez anos, quando ainda não se usava bilhetes eletrônicos, as empresas também foram vítimas de fraude semelhante. Rosa informou que as empresas já tinham adquirido um novo sistema de bilhetagem eletrônica, que será instalado rapidamente em cada ônibus entre abril e outubro. "Será um novo validador dos cartões, mais eficiente", informou ele. Pelo novo sistema, os motoristas não irão mais portar cartões validadores quando os passageiros avulsos usarem o transporte urbano. E para cada tipo de passagem será disparado um bip sonoro nos ônibus, avisando todos os passageiros sobre qual o tipo de passagem foi utilizada. Os cartões apreendidos e usados na fraude serão cancelados. "Isso mostra que essas pessoas não precisavam usá-los", comentou Dias. Existem cerca de 450 motoristas nas três empresas, que transportam cerca de 180 mil usuários/dia. Os motoristas fraudadores detidos foram demitidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.