Rede chega a ter fila de espera de médicos

Profissionais disputam vagas de emprego nas clínicas da dr.consulta

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2016 | 05h00

Enquanto hospitais e ambulatórios públicos sofrem com falta de médicos, a rede de clínicas dr.consulta tem fila de espera de 250 desses profissionais à espera de uma vaga de emprego. Hoje, a empresa tem 450 doutores, e a estimativa é de que esse número chegue a 1 mil com a inauguração de mais 18 unidades até o fim do ano.

Para Marcos Fumio, vice-presidente da área médica da dr.consulta, a procura é causada por vários fatores, entre eles o modelo de remuneração e o tipo de serviço executado.

“O pagamento não é fixo. O médico tem bônus de acordo com a avaliação que recebe dos pacientes. O que posso dizer é que ele ganha mais por consulta do que o que é pago por um plano de saúde, e ainda se envolve em um projeto que tem um cunho social. Vale mais a pena para ele trabalhar no dr.consulta do que arcar com todas as despesas de um consultório particular, por exemplo.”

Logo após terminar a residência em otorrinolaringologia, a médica Samanta Dallagnese, de 33 anos, trocou empregos em hospitais públicos e em clínicas onde atendia planos de saúde pelo dr.consulta. “No SUS, a gente sabe que o tratamento acaba sendo muito aquém do que deveria e os planos pagam pouco. Aqui recebo um salário justo, fazendo algo diferente”, diz ela, que trabalha na rede quatro dias por semana, em período integral.

Mais conteúdo sobre:
SUS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.