Recusa do serviço sempre causa constrangimento

Você pode dizer que cortou os carboidratos, que não gosta de pão de queijo, que aqueles bolinhos de bacalhau vão acabar com a sua fome antes do prato, que quer controlar os gastos - não importa o motivo, recusar o couvert sempre causa constrangimento. Não é impressão. Os restaurantes fazem, mesmo, questão de servi-lo aos clientes. Alegam que é com este dinheiro que conseguem garantir a manutenção da casa. Assim, o preço do couvert não é proporcional ao dos pratos, mas à qualidade da toalha, das taças e dos talheres.

Patrícia Ferraz, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2011 | 00h00

Na origem, o termo francês se referia aos utensílios usados à mesa. "Qualquer país do mundo tem couvert, ele serve para cobrir os custos de reposição do material", diz o restaurateur Rogério Fasano. "No Brasil é que ele acabou virando uma refeição paralela", reclama. Para o sushiman Jun Sakamoto, presidente da Associação Nacional dos Restaurantes, a lei penaliza os restaurantes porque as pessoas vão deixar de pedir o couvert, o que vai interferir no faturamento das empresas. "Sem couvert, os restaurantes vão acabar tendo de embutir o valor no preço dos pratos."

É EDITORA DO CADERNO PALADAR

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.