Reclusão preocupa e pode fazer terapia regredir

Reclusão preocupa e pode fazer terapia regredir

O terapeuta particular de Ana Carolina de Oliveira, José Nilton Kotzevnal, fez um pedido formal para o juiz Maurício Fossen para atender a paciente, enclausurada no Fórum da Barra Funda desde segunda-feira, quando o advogado de defesa do casal Nardoni, Roberto Podval, solicitou que ela fosse mantida confinada até o fim dos trabalhos.

, O Estadao de S.Paulo

25 Março 2010 | 00h00

"Estou muito preocupado com o estado de saúde dela. Essa clausura é desumana. Ela deu todos os passos para trás de tudo que avançamos nesses dois anos de tratamento terapêutico", diz ele.

Acompanhado dos pais de Ana Carolina, o terapeuta assistiu ao julgamento ontem. "É preocupante o estado de saúde dela", enfatizou. Kotzevnal havia feito uma grande preparação para a paciente acompanhar o dolorido julgamento da morte de Isabella. "Preparei-a para ver as fotos da filha durante o julgamento. Isso já estava muito bem acertado entre a gente."

O pai de Ana Carolina, José Arcanjo, disse que a filha estava mal. "Ela não poderia estar isolada depois de tudo que passou. Perdeu a filha e agora estão fazendo isso com ela."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.