Realengo: ato lembra 1º ano do massacre

Um ano após o massacre de Realengo, familiares de vítimas prestaram ontem homenagem às crianças mortas pelo atirador Wellington Menezes de Oliveira na escola da zona oeste do Rio. Aos pés do Cristo Redentor, pais, oraram em memória das vítimas e pela paz.

ANTONIO PITA / RIO, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2012 | 03h03

Emocionados, familiares jogaram pétalas de rosas do alto do Corcovado. "É uma homenagem simbólica. Me senti mais perto da minha filha de novo", disse Valdir Nascimento, de 47 anos, pai de Milena, uma das vítimas.

Em 7 de abril de 2011, o ex-aluno Wellington invadiu a Escola Municipal Tasso da Silveira, atirou em alunos e se matou. Dez meninas e dois meninos morreram, 12 foram feridos.

Um ano depois, a escola recebeu R$ 9 milhões em obras e virou modelo. A segurança foi reforçada, com guardas municipais e controle de acesso. "A Tasso da Silveira é hoje a melhor escola do município, mas não vamos transformar escolas em fortalezas", disse o prefeito Eduardo Paes, durante a cerimônia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.