Rastreador de celular ajuda polícia a achar bandidos

Aplicativo estava instalado em iPhone de engenheiro assaltado no Itaim; aparelho, porém, não foi encontrado, porque bateria acabou

GIO MENDES, O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2011 | 03h04

Um aplicativo de rastreamento de celular ajudou a Polícia Civil a encontrar um trio de ladrões que havia roubado três engenheiros no Itaim-Bibi, zona sul de São Paulo, na noite de anteontem. Os criminosos trocaram tiros com investigadores. Baleado na cabeça, um dos assaltantes morreu ontem de manhã no hospital onde estava internado. Os dois comparsas dele foram presos.

Os ladrões abordaram dois engenheiros de 24 anos e uma engenheira de 25, na Rua Tabapuã. As vítimas tinham saído do trabalho e foram obrigadas a entregar carteiras, celulares e notebooks, entre outros objetos. Segundo as vítimas, os criminosos correram até a Rua Brasília e entraram em um carro. Como o crime aconteceu a cerca de 500 metros do 15.º DP (Itaim-Bibi), os engenheiros foram até a delegacia para avisar sobre o roubo.

Um deles contou para o delegado Noel Rodrigues de Oliveira Júnior sobre o aplicativo instalado em seu iPhone 4. "Eu já tinha esse celular, mas só soube da existência do aplicativo em agosto, ao ver uma notícia sobre a prisão de ladrões que tinham invadido uma casa. Foi quando resolvi instalar o mesmo aplicativo", disse o engenheiro, que pediu para não ser identificado.

O delegado usou seu notebook para rastrear pela internet o celular roubado, enquanto passava o trajeto feito pelos assaltantes para os investigadores. Os ladrões foram localizados na Rua Cancioneiro Popular, em Santo Amaro. Eles tinham acabado de roubar a bolsa de uma mulher de 23 anos. Os criminosos fugiram em um Polo branco, depois de trocar tiros com os investigadores.

O rastreador levou os policiais até a favela de Paraisópolis, onde o motorista Adair Alves da Silva, de 28 anos, foi preso dentro do Polo. Segundo a polícia, Silva estava armado com um revólver calibre 32. Como havia manchas de sangue no carro, os policiais fizeram buscas em hospitais da zona sul atrás de suspeitos.

Um adolescente baleado na cabeça foi encontrado no Hospital Municipal de Campo Limpo. Nathan Oliveira Souza, de 17 anos, morreu às 9h20 de ontem. Ferido no braço, o garçom Júlio Aurélio de Souza Pereira, de 24, foi preso quando procurava por socorro na Santa Casa de Santo Amaro. De acordo com Oliveira Júnior, os dois acusados foram reconhecidos pelas vítimas.

Em seis meses, essa foi a terceira vez que investigadores do 15.º DP prenderam ladrões com rastreadores de celular. "É um dispositivo que ajuda bastante o trabalho da polícia. Sempre perguntamos se os equipamentos das vítimas têm esse aplicativo instalado", afirmou o delegado.

Apesar do recurso tecnológico, o celular do engenheiro não foi localizado - a bateria acabou. Nenhum bem foi encontrado. O prejuízo foi de R$ 6 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.