Rapaz não tinha antecedentes

Milton estava desempregado havia três meses, era tido como trabalhador e não tinha antecedentes criminais. No BO, foi relatado que Alexandre disse que o irmão era viciado em maconha e lança-perfume. Ele nega que tenha dito isso. "O vi usando (as drogas) uma vez." Pai da vítima, o aposentado Milton Dal Corso, de 74 anos, critica a abordagem da PM a jovens do bairro. "Se estão fazendo algo errado, que sejam levados à delegacia. Não precisa bater, não precisa matar."

O Estado de S.Paulo

03 Novembro 2011 | 03h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.