Rapaz dá cinco tiros em aluno no Paraná, mas não acerta nenhum

Um rapaz de 24 anos disparou cinco tiros contra um aluno de Fisioterapia da Faculdade Uningá, em Maringá (PR), mas a vítima só teve cortes na cabeça por ser golpeado com o revólver calibre 38 após os disparos. Em três tentativas a arma falhou; os outros dois tiros atingiram um móvel e uma parede da sala de aula em que ocorreu o crime, na noite de anteontem.

Evandro Fadel / CURITIBA, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2010 | 00h00

Segundo a Polícia Militar, o agressor invadiu a sala da faculdade porque tinha se separado recentemente da namorada, também aluna, que agora estaria com o rapaz agredido.

Ele invadiu a sala logo depois de ter começado uma das aulas noturnas e obrigou as cerca de 40 pessoas a se aglomerarem nos fundos. Depois, puxou a ex-namorada e o rapaz, que foi obrigado a ficar de joelhos. Colocou o revólver próximo da cabeça e deu os tiros, que falharam.

Sem balas no revólver, o agressor bateu com a coronha na cabeça do estudante, que precisou levar 20 pontos. Para fugir, o agressor puxou a ex-namorada pelo pescoço, mas foi surpreendido por um segurança e outros alunos no corredor. Na briga, a moça escapou e a arma ficou caída no chão. Mas o agressor pegou um Celta branco e conseguiu fugir. Ele já tinha sido identificado e a polícia estava, até a noite de ontem, em seu encalço. A Uningá não se pronunciou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.