Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Raiva confirmada em bovinos deixa sistema de saúde em alerta no sudoeste paulista

A doença é fatal e pode ser transmitida para o homem por meio do contato com os animais doentes

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

19 Julho 2017 | 18h40

SOROCABA - Três casos confirmados de raiva em bovinos puseram em alerta o sistema de saúde dos municípios de Itararé e Riversul, no sudoeste paulista. A doença é fatal e pode ser transmitida para o homem por meio do contato com os animais doentes. Cinco bovinos e um suíno morreram com sintomas de raiva em propriedades rurais dos bairros Barreirinho, Serrinha e das Furnas, em Itararé, entre março e junho deste ano. Os exames de laboratório confirmaram a doença em três animais segundo a Vigilância Epidemiológica do município.

De acordo com a enfermeira Juliana Sala, todos os moradores e funcionários das propriedades foram vacinados. “Aqueles que tiveram contato com os animais receberam também o soro, que tem ação preventiva mais rápida. Temos ainda duas pessoas em tratamento.” Segundo ela, nenhum morador apresentou sintomas da doença, mas a vacinação antirrábica para cães e gatos na área urbana, prevista para o final de outubro, foi antecipada para o fim de agosto. “É uma medida de prevenção, em razão da gravidade da doença”, justificou.

O médico veterinário da Vigilância, Dalmerson Lopes Machado, disse que os proprietários rurais foram orientados a vacinar todo o rebanho bovino e também os animais domésticos, como cães e gatos. “Temos a presença na região do morcego hematófago, que funciona como propagador da raiva, ao sugar o sangue de um animal doente. É um fator que eleva o risco.” Os morcegos podem levar a doença para a área urbana, mordendo cães e gatos, mas já houve relatos de ataques de hematófagos a pessoas no meio rural.

De acordo com Machado, ao menos 15 bovinos morreram com sintomas em fazendas de Riversul, município vizinho. “Como soubemos das mortes algumas semanas depois, não foi possível colher amostras para exame, mas as medidas preventivas foram estendidas para aquela região.” A prefeitura de Riversul também antecipou a vacinação de cães e gatos. Uma campanha alerta moradores para identificar sintomas da doença em animais.

A Coordenadoria de Defesa Agropecuária, da Secretaria da Agricultura do Estado, informou ter recebido laudos de dois casos positivos de raiva em herbívoros (bovinos) na região, um em Itararé e outro em Riversul. Três equipes técnicas foram deslocadas para fazer o monitoramento dos casos, revisão dos abrigos de morcegos e orientação aos produtores rurais. É orientada a vacinação dos animais contra a raiva e o uso de pasta vampiricídica em morcegos capturados. A Defesa pede que os casos de mordeduras em animais sejam notificados. Durante o primeiro semestre de 2017, a equipe de controle da raiva averiguou a causa da morte de 258 animais no Estado. Desses, 93 herbívoros tiveram resultado positivo para raiva.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.