Raio mata casal de turistas em praia de Bertioga

Engenheiro de 31 anos e enóloga de 29 andavam à beira-mar quando foram atingidos; 12 pessoas morreram no Estado em 2012

ZULEIDE DE BARROS , ESPECIAL PARA O ESTADO, BERTIOGA, O Estado de S.Paulo

08 Janeiro 2013 | 02h02

Um casal de turistas morreu no fim da tarde de domingo na Praia do Centro, em Bertioga, no litoral paulista, ao ser atingido por um raio. Os bombeiros tinham acenado para que os banhistas deixassem a praia por causa da chegada de um temporal.

O engenheiro Thiago Ribeiro da Costa, de 31 anos, e a enóloga portuguesa Inês Cruz, de 29, não tiveram tempo de correr. Eles caminhavam na beira do mar quando foram atingidos pela descarga elétrica. Foram encontrados de costas e de mãos dadas. A viatura do resgate chegou rapidamente, mas Costa e Inês morreram na hora.

José Fernando Ferreira, amigo do casal que chegou a Bertioga ontem para liberar os corpos, disse que o sonho dos dois era construir uma casa em Itupeva, no interior de São Paulo, onde moravam. "Eles já haviam comprado um terreno e a obra começaria logo."

O corpo de Costa será levado para Guaratinguetá, no interior do Estado, onde vai ser enterrado hoje. O corpo de Inês será levado para Portugal.

A irmã de Costa, Edilene, lembrou que o casal se conheceu nos Estados Unidos e estava casado havia quatro anos.

Segundo ela, Inês dizia sempre que tinha adotado o Brasil como seu país de coração. Ela estava muito animada com a construção da casa, de acordo com a cunhada, mas não abria mão de seu lazer favorito, que era frequentar a praia.

Estatísticas. As mortes por raios são acidentes raros, mesmo sendo o Estado de São Paulo um dos que mais registram esse tipo de ocorrência no Brasil. No ano passado, foram 12 mortos no Estado, o que significa que o risco de morrer por uma descarga elétrica é de 0,000003%.

Uma das mortes do ano passado ocorreu no Guarujá. Os dois mortos em Bertioga foram as duas primeiras vítimas do ano no Estado.

"Os riscos médios de morrer por raio podem ser baixos. Mas se alguém estiver andando na praia durante uma tempestade com raios esse risco se multiplica. Não se pode achar que os riscos em tempestades de raios são pequenos", diz Osmar Bento Júnior, coordenador do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Considerando os últimos 12 anos, morreram mais de 1.500 pessoas atingidas por raios no Brasil, média de 120 vítimas anuais, o que torna o País o mais atingido por raios do planeta, com uma média anual de 50 milhões de raios. Em São Paulo, o quinto Estado do Brasil onde o fenômeno mais ocorre, a média anual de raios é de 2,3 milhões

O interior de São Paulo tem mais raios que o litoral. De acordo com o ranking de cidades elaborado pelo Elat do Inpe, caiu nas cidades da Baixada Santista entre 1998 e 2011 uma média de 9 raios por km² ao ano.

As praias de São Paulo são as que mais registram raios em todo o litoral brasileiro. Bertioga teve no ano passado, por exemplo, 1.770 raios, ficando no litoral sul atrás apenas de Santos, com 2.328 raios.

Segundo Bento Júnior, o fato de o casal de Bertioga estar de mãos dadas não foi determinante para a morte. "Um raio cai no solo e pode matar mais de uma pessoa que está nas proximidades", explica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.