José Patricio/AE
José Patricio/AE

Radares multam cinco veículos por minuto

Em 2010, 543 aparelhos espalhados pelas rodovias estaduais e federais de SP aplicaram 2,43 milhões de multas. Neste ano, número deve crescer 15%

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2011 | 00h00

A cada minuto, cinco veículos são multados por radares que flagram excesso de velocidade nas estradas paulistas. No ano passado, os 543 equipamentos instalados em rodovias estaduais e federais aplicaram 2,43 milhões de multas por esse tipo de infração ao Código de Trânsito Brasileiro. Neste ano, o total de multas deve chegar a 2,8 milhões, um aumento de 15%. A frota total do Estado, em abril, era de 21,9 milhões de veículos, incluindo motos. O valor mínimo de cada multa por transitar acima da velocidade permitida é de R$ 85,13.

Nos três primeiros meses deste ano, apenas nas rodovias estaduais 674.331 motoristas foram flagrados em velocidade acima do limite, segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER). A média, que foi de 190 mil multas por mês no ano passado, subiu para 215,7 mil.

As rodovias administradas pelo Estado têm 512 radares em operação, entre fixos, móveis e portáteis. Deles, 255 estão em estradas concedidas à iniciativa privada.

No ano passado, equipamentos flagraram exatos 2.299.712 veículos em excesso de velocidade, segundo o DER. Outros 31 radares, responsáveis por 130 mil multas em 2010, ficam em rodovias federais que cortam o Estado.

Além de novos radares terem entrado em operação, o cerco aos motoristas infratores também aumentou com as novas tecnologias adotadas pelos fabricantes. Agentes de fiscalização passaram a contar com equipamentos mais eficientes, como, por exemplo, os radares tipo OCR (com reconhecimento ótico de caracteres), também chamados de radares inteligentes ou "dedo-duro". Seus sensores indicam a velocidade do veículo com mais precisão e também fazem a leitura da placa, possibilitando identificar veículos com licenciamento vencido. Os 42 radares desse tipo em operação nas rodovias estaduais paulistas aplicaram, entre janeiro e março deste ano, 114.277 multas por excesso de velocidade.

A nova geração de radares fixos e estáticos dispõe ainda de flashes infravermelhos para multar à noite, câmeras digitais, fibra ótica e conexões para envio de dados por wireless, o que reduz o número de autuações descartadas pela má qualidade da foto ou por dúvida quanto ao veículo infrator. Caso dois veículos passem ao mesmo tempo pelo sistema de medição, o equipamento consegue identificar aquele que ultrapassou o limite de velocidade.

Mas usuários reclamam do uso de radares como "armadilhas" contra os motoristas. O engenheiro Mauro Segamarchi, morador de Itu, foi autuado na Rodovia Washington Luís a 98 km/hora, quando a velocidade máxima é de 110 km/h. "No local da multa, as placas baixam a velocidade de repente para 80 km/h e os motoristas freiam, aumentando o risco de acidente", conta.

De acordo com o DER, a velocidade de cada trecho rodoviário é definida segundo critérios técnicos, com o objetivo de aumentar a segurança. A sinalização segue normas definidas pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Os radares são instalados em locais em que a velocidade excessiva pode resultar em acidentes. Os pontos são definidos por técnicos do próprio DER ou pelas concessionárias.

Operação. Apenas quatro empresas, contratadas pelo DER, são responsáveis por fazer a manutenção e operação dos equipamentos medidores de velocidade nas rodovias paulistas. São elas a Fiscal Tecnologia, a Sitran Sinalização, a Splice e a Engebrás. De acordo com o DER, a contratação das empresas obedece ao disposto na Lei 8.666/93, a chamada Lei das Licitações.

PONTOS-CHAVE

Mortes

No último feriado, o da Semana Santa, o número de acidentes fatais caiu 17,8%

na comparação com os dados registrados no ano passado.

4 pontos

na Carteira Nacional de Habilitação é a penalidade mínima no caso de excesso de velocidade, segundo o Código de Trânsito Brasileiro.

Mais multas na capital

Na capital paulista, a CET quer instalar equipamentos para flagrar mais infrações, principalmente à noite. A companhia estima que multas vão quintuplicar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.