Radar dedo-duro faz procura por inspeção crescer 53%

Após o anúncio, na semana passada, de que os radares da Prefeitura vão multar quem não fez a inspeção veicular ambiental, a procura pelos postos de inspeção cresceu 53%, segundo dados divulgados ontem pela Controlar, empresa que faz a vistoria. A média de inspeções nos centros da empresa era de 13 mil por dia até o dia 15. Agora, é de 20 mil. A multa por falta de inspeção é de R$ 550.

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

01 Dezembro 2010 | 00h00

Além da fiscalização com os radares, há outro fator que pode explicar o aumento da procura pelos postos de inspeção: a Controlar, em parceria com a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, diz ter enviado, há 15 dias, aproximadamente 280 mil cartas a donos de veículos com placas de final 2, 3 e 4 informando sobre a necessidade da inspeção e sobre as formas de fiscalização.

Apesar do forte aumento no volume de inspeções, por enquanto não há risco de sobrecarga nos postos de vistoria, também de acordo com a Controlar. A empresa garante ter capacidade para realizar até 30 mil inspeções por dia nos 27 postos da cidade. Todos os 177 radares do centro expandido da capital que têm Leitor Automático de Placas (LAP) vão flagrar o motorista que estiver com a inspeção atrasada. Esses radares estão instalados na área onde funciona o rodízio.

Segundo as leis e portarias que estabelecem a inspeção, mesmo os donos de carros que já passaram do prazo da inspeção ainda podem fazer a vistoria sem pagar multa por atraso. A única taxa é o valor comum da inspeção, R$ 56,44.

O bloqueio do licenciamento do carro no ano que vem - outra punição prevista - só vai acontecer para quem não regularizar a situação até o fim do ano.

Ontem, venceu o prazo para os donos de veículos com placa de final 9. Agora, só quem tem placas com final 0 estão dentro do prazo. No posto de inspeção da Barra Funda, na zona oeste, a maior parte dos veículos era de final 9, que correu para não ficar irregular.

O dono do carro que não fez a inspeção veicular pode ser multado até quatro vezes por mês - ou receber R$ 2.100 em multas a cada 30 dias. Mas a Secretaria Municipal de Transportes decidiu adotar uma regra de transição e, pelo menos nos próximos seis meses, vai aplicar apenas uma multa por mês para cada carro irregular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.