Luis Cleber Martines/Fotorepórter/AE
Luis Cleber Martines/Fotorepórter/AE

Radar 'dedo-duro' entra em operação

Equipamentos em 24 rodovias vão flagrar veículos com dívidas e problemas judiciais; polícia será informada 4 segundos após o registro

Eduardo Reina, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2010 | 00h00

Vinte e quatro rodovias de São Paulo ganham hoje 42 radares inteligentes, capazes de indicar se o veículo foi licenciado, se é produto de roubo ou furto e se há alguma pendência com a Justiça. Mas a fiscalização só serve para veículos com placa de São Paulo.

O sistema todo ainda não tem convênio com o Registro Nacional de Veículos (Renavam), que é federal e inclui a base de dados de todos os Estados. A promessa é de que essa conexão seja realizada em breve.

Na etapa atual, haverá apenas a verificação se o veículo foi roubado ou furtado ou se apresenta alguma pendência na Justiça paulista. O sistema que entra em funcionamento tem conexão direta e em tempo real com os bancos de dados das Secretarias da Fazenda, dos Transportes e da Segurança Pública, além da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Ao anunciar o projeto, em agosto do ano passado, o governo do Estado informou que planejava realizar blitze de regularização, com apoio desses radares. Na época, 30% dos veículos parados pela PRE apresentavam algum problema. Para facilitar a regularização, estudava-se até o uso de postos itinerantes do Poupatempo.

O radar faz a leitura automática das placas e por isso recebeu o apelido de "dedo-duro". Trata-se de um equipamento capaz de ler placas de dois veículos por segundo. O tempo despendido entre a leitura, a checagem de dados e o aviso ao posto policial do possível problema é de 4 segundos. Feito por uma empresa contratada por licitação, o serviço é terceirizado. Os contratos dos radares fixos e móveis são de 17 e 15 meses, respectivamente, ao custo total de R$ 11 milhões, renováveis por igual período.

Atraso. O início de operação do sistema inteligente de fiscalização está atrasado cerca de nove meses. Havia previsão de entrada em funcionamento no início do ano. "Mas houve necessidade de implementar infraestrutura nos locais onde estão instalados, como energia elétrica, guardrail de proteção, além de ajustes e homologação do equipamento instalado", explicou o secretário adjunto de Transportes do Estado, Silvio Aleixo.

"O próximo passo agora é fazer a integração com o sistema Renavam e a checagem será com veículos de placas de todos os Estados brasileiros", informou Aleixo. "Vai ajudar a fazer mapeamento das estradas, com controle do transporte de pessoas e de cargas. É uma ferramenta de gestão", explicou o coronel Jean Charles Oliveira Diniz, comandante da PRE.

PONTOS PREVISTOS PARA RECEBER O EQUIPAMENTO

Anchieta

Km 9,7 (São Bernardo)

Anhanguera

Km 38,5 (Cajamar), 153,2 (Limeira), 248 (Sta. Rita do Passa Quatro) e 371 (Orlândia)

Antônio Schincariol

Km 212 (Capão Bonito)

Ayrton Senna

Km 18,7 (Guarulhos) e 91 (S. José dos Campos)

Brig. Faria Lima

Km 410,5 (Barretos)

Cândido Portinari

Km 392,1 (Franca)

Castelo Branco

Km 44,8 (Araçariguama) e 194,5 (Pardinho)

Cônº Domenico Rangoni

Km 1,5 (Santos)

Dom Pedro I

Km 72 (Atibaia)

Eng. Paulo Nilo Romano

Km 307 (Sta. Cruz do Rio Pardo)

Floriano Pinheiro

Km 28,4 (Pindamonhangaba)

Francisco Alves Negrão

Km 280 (Itapeva)

Adhemar de Barros

Km 119 (Campinas)

Imigrantes

Km 21,5 (S. Bernardo) e 62 (S. Vicente)

João Ribeiro de Barros

Km 410 (Garça) e 641 (Dracena)

Luís de Queiroz

Km 158,8 (Piracicaba)

Marechal Rondon

Km 311 (Agudos) e 525 (Araçatuba)

Mogi-Bertioga

Km 58,7 (Mogi das Cruzes)

Pe. Manuel da Nóbrega

Km 292 (Praia Grande) e 370 (Pedro de Toledo)

Raposo Tavares

Km 35 (Cotia), 442 (Assis) e 614 (Pres. Venceslau)

Rodoanel

Km 15 (Barueri)

Rod. do Açúcar

Km 23,6 (Itu)

Bandeirantes

Km 19 (SP) e 85,7 (Campinas)

Santos Dumont

Km 62 (Indaiatuba)

Tamoios

Km 20 (S. José dos Campos)

Washington Luís

Km 170 (Rio Claro), 274,5 (Araraquara), 444,2 (S. José do Rio Preto) e 385,8 (Catanduva)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.