Racionamento de água na região de Campinas poupa 2 bilhões de litros

Das oito cidades que adotaram a medida, Valinhos foi a que mais economizou; nível da barragem do Figueira subiu de 20% para 50%

Letícia Guimarães dos Santos, Especial para O Estado

03 Agosto 2014 | 15h18

CAMPINAS- Por conta da crise hídrica no Estado, oito cidades da região de Campinas adotaram o racionamento de água como medida para garantir o recurso a toda a população. Com a atitude, os municípios de Valinhos, Vinhedo, Rio das Pedras, Nova Odessa, Saltinho, Cosmópolis, Santo Antônio de Posse e Cordeirópolis, juntos, economizaram cerca de 2 bilhões de litros de água. Para se ter uma ideia, Campinas, que possui 1.144.862 habitantes, consome diariamente por volta de 300 milhões de litros de água por dia, sendo que a quantidade economizada seria suficiente para abastecer a cidade por seis dias e 12 horas.

Dos oito municípios que adotaram o racionamento, Valinhos foi o que mais conseguiu poupar. A redução do consumo, proposta pelo governo da cidade desde fevereiro, gerou economia de 1,4 bilhão de litros de água. O nível da barragem do Figueira, que abastece a cidade, subiu de 20% para 50% com a iniciativa, segundo o Departamento de Água e Esgoto (Daev), que garantiu que até o final do ano está garantido o abastecimento de água para a população.

Mesmo com a economia significativa, as oito cidades continuarão com a medida de racionamento por conta da estiagem da região e pela falta de perspectiva de chuva forte que possa restabelecer o volume das barragens.

Mais conteúdo sobre:
Campinas Valinhos Crise da água

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.