Rachaduras e infiltrações fecham planetário em São Paulo

Equipamento ganhou lentes novas em 2005 que custaram R$ 4 mihões

Solange Spigliatti, do estadao.com.br

14 de julho de 2007 | 19h56

O planetário do Parque do Carmo, na zona Leste de São Paulo, continuará fechado até que problemas estruturais sejam resolvidos. A decisão foi dada pela prefeitura, segundo reportagem do jornal SPTV, da TV Globo. Além de trincas nas paredes e infiltrações, os muros estão deteriorados e o ar-condicionado é insuficiente para manter os equipamentos. O planetário foi entregue em 2005, mas recebeu visitantes por pouco tempo. A sala principal, com 280 lugares, está com as poltronas manchadas por causa da umidade. A sala tem um sistema capaz de reproduzir cinco mil estrelas. Antes da inauguração, o equipamento que já tem 10 anos ganhou novas lentes e o sistema de projeção foi restaurado, em um investimento de R$ 4 milhões. Mas, desde o ano passado, o projetor fica coberto por um pano e uma lona para não ser danificado por goteiras. Um laudo, que deve ficar pronto em outubro, vai mostrar se há falhas na obra, construído por uma empresa privada em um terreno cedido pela prefeitura. Além disso, irá determinar o que precisa ser feito para que o planetário possa reabrir as portas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.