Quentinhas para todos os estilos de 'marmiteiros'

Entre as opções modernas para transportar o lanche, há sacolas e vasilhas térmicas chiques

VALÉRIA FRANÇA, O Estado de S.Paulo

17 Março 2012 | 03h06

Levar comida para o trabalho é uma prática cada vez mais comum entre os paulistanos. A atriz Arieta Correa, de 34 anos, aderiu a essa rotina para alimentar o filho, Gael, de 3, no set de filmagem. O publicitário Rogério Gomes, de 39 anos, pensou em ter uma dieta mais saudável. E a fonoaudióloga Fernanda Bacal achou que seria o jeito para não sofrer com a sua intolerância ao glúten, substância encontrada na farinha.

Nas lojas, eles encontraram marmitas que combinam com o estilo de cada um - sim, há opções para marmiteiro chique, fashion e até executivo.

Um bom lugar para procurar é o bairro da Liberdade, no centro de São Paulo. Na Rua dos Estudantes, a Good Cook vende uma de plástico duro, laranja e branca, boa para pequenos lanches. Custa R$ 14,80.

Na mesma calçada, a Tenman-Ya Presentes tem mais variedades. Fique de olho em um modelo que parece uma garrafa térmica (R$ 60). Ao desrosquear a tampa, surgem três potes de plástico de diferentes tamanhos.

Executivo. Vale também fazer uma busca na internet. A marmita Urban, da Laptop Lunches (secure.laptoplunches.com), é excelente para o marmiteiro de terno e gravata. Trata-se de uma pasta térmica estruturada com alça a tiracolo. Na cor preta, sai por US$ 24,99.

Depois de passar alguns meses levando comida em potes plásticos, o publicitário Rogério Gomes comprou uma marmita tipo prato. Redonda, é de plástico duro e tem várias divisões, além de tampa. E vai ao micro-ondas. "Comecei a cozinhar por causa da marmita. Minhas receitas fazem sucesso no trabalho. Quando faço frango no forno, levo porção dobrada para dividir com os colegas."

A fonoaudióloga Fernanda Bacal preferiu uma sacola térmica branca para acomodar as comidinhas que leva para o trabalho. "Branca e pequena, parece uma frasqueira. Levo até nas viagens de avião", diz.

Para quem está começando no mundo da "quentinha", a chef Daniele Chamecki, de 42 anos, dá dicas. "Prefira levar comida com molho. Na hora de esquentar, fica suculenta. Não indico fritura, porque perde o aspecto crocante depois de um tempo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.