'Quem quiser pode vir correr comigo'

Quando a monja Coen, representante do zen-budismo no País, viu a relação de meditação e corrida, passou a trocar quase toda manhã o samue (traje dos budistas) por camiseta e legging. "É como meditar. A atenção fica no presente, na respiração, na pisada."

/ DENIZE GUEDES, O Estado de S.Paulo

02 Março 2012 | 03h04

Aos 64 anos, a missionária treina às segundas e quartas-feiras na Praça Charles Miller, vizinha ao templo que dirige no Pacaembu, na zona oeste. "Aqui há área plana e inclinada, luz e sombra, gramado para treinos específicos", diz.

A volta tem 600 metros - a monja corre 400 e caminha o restante, dez vezes, com apoio de treinadora. "Mudei até o zazen (meditação aberta) nesses dias. Quem quiser pode vir correr comigo (a partir das 6h30)!" No domingo, ela encara sua primeira prova: 5 km na Meia Maratona Internacional de SP.

Praça Charles Miller: na frente do Estádio do Pacaembu, monja Coen treina às segundas e quartas-feiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.