Queda de ultraleve mata piloto em Bragança Paulista

De acordo com familiares, Pietro Di Benedetti, de 65 anos, construiu o ultraleve, um modelo experimental que não tinha registro na Anac

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

03 Abril 2015 | 19h39

SOROCABA - A queda de um ultraleve causou a morte do piloto Pietro Di Benedetti, de 65 anos, na tarde desta sexta-feira, 3, na zona rural de Bragança Paulista, região de Campinas. A aeronave, de fabricação artesanal, havia decolado do aeródromo de um condomínio de chácaras, no bairro Biriçá do Valado, e acabou caindo logo depois próximo de um hangar. 


De acordo com um segurança do condomínio, Wilson Palombelo, o motor do ultraleve começou a falhar e o aparelho entrou em 'parafuso', mergulhando em direção ao solo. Quando o serviço de resgate do Corpo de Bombeiros chegou, o piloto já estava morto. O corpo passou pelo Instituto Médico Legal (IML) e foi levado para o velório em Campo Limpo Paulista, onde morava o piloto. 


De acordo com familiares, o próprio Di Benedetti havia construído o ultraleve, um modelo experimental que ainda não tinha registro na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A Polícia Civil fez uma perícia no local e vai abrir inquérito para apurar as causas do acidente.

Mais conteúdo sobre:
Ultraleve Bragança Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.