Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Queda de monomotor da FAB em Santa Catarina deixa 8 mortos

Dados preliminares indicam que acidente foi provocado pelos fortes ventos que atingiram a região serrana

Júlio Castro, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2011 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

FLORIANÓPOLIS

Um monomotor prefixo C98A Grand Caravan caiu por volta das 13h10 de ontem na serra catarinense, causando a morte de oito pessoas. A aeronave pertencia ao 5.º Esquadrão de Transporte Aéreo da Força Aérea Brasileira (FAB). A queda aconteceu no município de Bom Jardim da Serra e, segundo informações preliminares, foi provocada pelos fortes ventos que atingem Santa Catarina, principalmente a região serrana.

Segundo nota oficial divulgada pela FAB, cerca de uma hora após o acidente, a aeronave havia partido de Canoas (RS) às 11h35, com destino ao Rio. Estavam a bordo o major Antônio Carlos Souza da Silva, os tenentes Samir de Barros Farias, Arthur Ricardo Carneiro da Silva Júnior e André Dias Alves, o suboficial Marcelo André Rhoden, o segundo-sargento Helenilton de Souza Schafer e o terceiro-sargento do Exército Jarbas Barbosa Mendes, além de uma passageira identificada como Gracy Quelle Nunes de Oliveira.

A queda foi em uma área rural a dois quilômetros da Rodovia SC-438, na Fazenda Pelotas, próximo da Pousada Santa Rita, entre São Joaquim e Bom Jardim da Serra. A aeronave bateu contra um barranco. Com o impacto, um dos motores foi arrancado da fuselagem e logo em seguida houve uma explosão.

Agentes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar isolaram a área. Um helicóptero Arcanjo, transportando uma equipe do Corpo de Bombeiros de Florianópolis, se deslocou até o local, para dar apoio ao resgate. Outro helicóptero, um H-60 Blackhawk, lotado na Base Aérea de Santa Maria (RS), conforme informações da FAB, decolou em direção ao local do acidente com mais agentes de resgate.

Voo baixo. Segundo funcionários da pousada, que testemunharam a queda do avião, o forte vento que soprava no horário do acidente pode ter provocado o acidente. "A gente viu o avião passar por aqui e logo em seguida ouvimos um barulho de explosão e fumaça", informou uma funcionária, que se identificou apenas como Aline.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.