Queda de avião mata secretária de Educação do AM e mais cinco

Bimotor levava funcionários do governo e caiu em terreno perto de escolas e casas na zona leste de Manaus

Liege Albuquerque, O Estado de S.Paulo

14 de maio de 2010 | 00h00

Seis pessoas morreram ontem em Manaus na queda de um bimotor Sêneca, prefixo PT-EJU, da empresa Cleiton Táxi Aéreo. Entre as vítimas está a secretária de Educação do Amazonas, Cinthia Régia Gomes do Livramento. O avião caiu em um terreno nos fundos de várias casas e de uma escola e a menos de 30 m de um terminal de ônibus no bairro Zumbi, zona leste de Manaus.

Segundo o governo do Estado, os outros quatro passageiros eram três funcionárias da Secretaria de Estado de Educação e um fotógrafo da assessoria de Comunicação do governo, que iam com Cinthia para Maués, a 267 km da capital, para implementar um projeto pedagógico.

O piloto, Miguel Vaspeano Lepeco, de 52 anos, tinha mais de 25 anos de experiência, de acordo com a Cleiton Táxi Aéreo. Ainda segundo a empresa, cinco minutos depois de decolar do Aeroclube de Manaus, a 50 km do local do acidente, o piloto avisou que retornaria, sem explicar por quê. A Aeronáutica vai investigar.

O dono da empresa, Cleiton de Souza, disse que a última revisão do aparelho foi em 16 de março. O avião tinha capacidade para piloto e cinco passageiros, pertencia à empresa JVC e era sempre usado pela CTA. Foi fabricado pela Embraer em 1979. "Não tenho ideia do que aconteceu", disse Souza.

O governador do Amazonas, Omar Aziz, decretou luto oficial de três dias. / COLABOROU EDUARDO REINA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.