Queda de avião mata dois no interior de SP

Aeronave sobrevoava fazenda em Itirapina, quando perdeu altura, caiu e pegou fogo

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

13 Abril 2012 | 17h27

SOROCABA - Duas pessoas morreram com a queda de um avião no início da tarde desta sexta-feira, 13, na queda de seu avião em Itirapina, a 227 km de São Paulo. A aeronave sobrevoava a Fazenda São José da Conquista quando perdeu altura, caiu e pegou fogo. O empresário Fernando de Arruda Botelho, de 63 anos, um dos acionistas do Grupo Camargo Corrêa, estava no avião, juntamente com o funcionário da fazenda, Sérgio Luiz Robattini, de 47 anos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de São Carlos, o próprio Botelho pilotava a aeronave. O empresário e o funcionário haviam decolado às 12h25 da pista do Balneário Santo Antonio (Broa), que também pertence à família. O empresário pretendia vistoriar a lavoura de cana-de-açúcar. O funcionário do balneário William Lima Neto ouviu o barulho da queda. "Foi um baque seco, saí para olhar e logo vi que subia fumaça do canavial."

Algumas pessoas que estavam num posto de gasolina correram para o local, mas não puderam se aproximar por causa do incêndio na cana. Os bombeiros apagaram o fogo que consumia a plantação. O avião, que ficou praticamente inteiro na queda, foi consumido pelo fogo. Os corpos carbonizados estavam no interior da aeronave e, depois da perícia pela Polícia Especializada da Aeronáutica, serião levados para o Instituto Médico Legal (IML).

Botelho era de família tradicional da região. Seu tataravô, Jesuíno de Arruda, é considerado o fundador de São Carlos. Apaixonado por aviões, ele realizava anualmente o Broa Fly, encontro que reunia aviadores de todo o mundo. Numa das edições recentes esteve presente o então ministro da Defesa Nelson Jobim. Ele criou e presidia o Instituto Arruda Botelho (IAB), dedicado à aviação cultural e histórica. O empresário era casado com Rosana Camargo de Arruda Botelho, herdeira do Grupo Camargo Corrêa.

A empresa divulgou nota oficial de pesar pela morte do empresário: "O Brasil perdeu um dos maiores empreendedores nacionais", diz a nota, lembrando que Botelho era apaixonado pela aviação e pelo Brasil. "Fernando Botelho deixa um legado vasto de valorização de inúmeras conquistas brasileiras, as quais divulgou e promoveu internacionalmente."

Mais conteúdo sobre:
avião acidente Itirapina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.