Que mistério tem Clarice?

Bom demais

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2012 | 03h03

Uma coisa preocupa a eufórica torcida do Santos após o 8 a 0 sem dó sobre o Bolívar: o time da Vila Belmiro está parecendo o Barcelona da Libertadores! Capaz de, a exemplo do similar espanhol na Liga dos Campeões, ser eliminado na semifinal!

Vazio imperial

O Corinthians pode trazer Alexandre Pato da Itália, mas não necessariamente para o lugar de Liédson no ataque do Timão. O jogador do Milan é também sério candidato à vaga deixada por Adriano no departamento médico do clube.

Coisas diferentes

O Senado criminalizou o cheque-caução, mas ainda não se pronunciou sobre o dólar na cueca. Uma coisa não tem nada a ver com a outra!

Trauma gaúcho

Quem foi o valente que andou espalhando por aí que Mano Menezes não seria macho o suficiente para, mais uma vez, deixar o volante Ramires (Chelsea) de fora da seleção? Não há outro motivo para o técnico não tê-lo convocado ontem de novo!

Deus os perdoe!

Católicos e evangélicos da Câmara dos Deputados se uniram numa só bancada para barrar o projeto de taxação das grandes fortunas. A opção preferencial pelo dízimo dos pobres é, como se sabe, ecumênica!

Como assim?

Não está rolando nada entre Barack Obama e George Clooney! Arrecadar fundos até altas horas na casa do ator em Los Angeles não tem nada a ver com o que andam dizendo sobre o presidente onde os homens se encontram na Terra de Marlboro. Ô, raça!

Luis Fernando Verissimo devia ter esperado um momento de triunfo colorado para só então confidenciar a seus leitores uma dessas superstições estranhíssimas que todo torcedor doente manifesta - "Não me pergunte por quê"! -, ainda que de maneira inconsciente.

No jornal de quinta-feira, o mestre contou de bate-pronto que a flâmula do Internacional que pende da estante de seu escritório está presa à prateleira pelos livros de Clarice Lispector. Eis o mistério da fé!

Faz parte da liturgia da crônica, mas o problema no caso específico foi o timing da revelação. Redigida na véspera da eliminação do time gaúcho na Libertadores, deixou no ar uma dúvida cruel sobre o peso da obra literária em questão na derrota para o Fluminense nas oitavas de final da competição.

Se eu fosse o Verissimo - e todos os dias me pergunto por que não dei a sorte de sê-lo! -, voltaria ao assunto na próxima oportunidade para tentar explicar à nação colorada que a autora mais célebre do Brasil não é esse pé-frio todo que estão imaginando.

Humorista não acredita em bruxas, mas também não custa nada trocar a flâmula de lugar na estante. Quem sabe Paulo Coelho não dá mais sorte, né não?!

Personagem

"O OBAMA DEU O MAIORRAPOIO!"

SEU PERU,

da Escolinha do

Professor Raimundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.