José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Chuva não ajuda e 4 sistemas das bacias do PCJ entram em alerta

Vazão fica abaixo do mínimo tolerável no Rio Atibaia, que abastece Campinas; alerta indica necessidade de restrições no consumo

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

07 de setembro de 2015 | 12h45

SOROCABA – Apesar das chuvas que caíam na região, quatro dos cinco sistemas das bacias do Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ), no interior de São Paulo, entraram em alerta nesta segunda-feira (7), por causa da baixa vazão. O Rio Atibaia, no ponto em que abastece Campinas, estava com 3,56 metros cúbicos por segundo, abaixo do nível tolerável de 5 m3/s. No Alto Atibaia, o nível era de 4,15 m3/s, também abaixo do aceitável. O Rio Camanducaia entrou em alerta com 1,55 m3/s, um pouco abaixo dos 2 m3/s considerados fora do risco de restrição.

O Rio Jaguari tinha 4,15 metros cúbicos por segundo no ponto de medição, abaixo do Sistema Cantareira, quando deveria estar com um mínimo de 5 m3/s. Apenas as bacias acima do Cantareira, incluindo o trecho mineiro do Jaguari, estavam fora do alerta, com vazão de 4,43 m3/s. As vazões foram fixadas às 8h30 desta segunda-feira pela sala de situação do Consórcio PCJ, que monitora as bacias. De acordo com norma da Agência Nacional de Águas (ANA), o estado de alerta não restringe o uso da água, mas chama a atenção dos usuários para a proximidade do estado de restrição, quando as captações precisam ser reduzidas.

Mais conteúdo sobre:
Crise hídricaPCJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.