Quatro são presos em tentativa de assalto à casa na zona leste de SP

Ladrões renderam técnico em mecânica e seu filho, de três anos, quando estes abriam o portão para guardar o carro; vizinho chamou a PM, que deteve o bando

Gustavo Ferreira, Estadão.com.br

19 de abril de 2011 | 07h52

SÃO PAULO - Quatro bandidos tentaram assaltar uma casa na Rua Cristiano Osório, na zona leste de São Paulo, na noite desta segunda-feira, 18. Graças à atenção de vizinhos à movimentação suspeita, a Policia Militar foi chamada rapidamente e impediu o crime.

 

Logo ao voltar do trabalho e abrir o portão de casa para guardar seu carro, por volta das 21 horas, o técnico em mecânica Cesar Uzal, de 36 anos, foi recebido pelo filho. Após o garoto de 3 anos entrar em seu Pálio, três homens o cercaram, um deles com uma arma calibre 38. Um quarto bandido aguardava pela abordagem em um celta, estacionado próximo à residência. Um vizinho viu tudo e chamou a PM.

 

Enquanto a polícia não chegava, os três criminosos renderam Uzal, seu filho e sua esposa, de 30 anos. Bens de todo o tipo - DVD, notebook, roupas, bijuterias, malas e até mesmo ovos de páscoa - eram colocados no Pálio e no outro carro da família, um Siena. Mas eles queriam mais. "Disseram que matariam meu filho se eu não dissesse onde ficava o cofre, mas não temos um", conta Uzal.

 

Após muito custo, os invasores desistiram de encontrar o cofre inexistente. Antes de sair, um deles, num ato inesperado, devolveu o relógio que havia tirado de Uzal. E quando se aprontavam para deixar o lugar, a polícia chegou. Com a casa cercada por quatro viaturas, eles se entregaram, vinte minutos após ter feito a família refém. Antes, aquele que aguardava do lado de fora já havia sido detido.

 

Segundo o sargento Claudinei Ribeiro, a atitude imediata da testemunha é um exemplo de como ajudar na segurança da cidade. "Se demorasse mais um pouco para esse vizinho ligar, não teríamos feito o flagrante".

 

O pai de família se diz grato ao vizinho desconhecido não só por seus pertences terem sido preservados, mas, também, como cidadão. "Agradeço por ele ter ajudado a tirar essas pessoas das ruas". De fato, existe a suspeita de que a quadrilha tenha praticado outros roubos no bairro da Penha. Entre os quatro bandidos, um estava foragido da Penitenciária de Reginópolis, no interior de São Paulo. Outro, menor de idade, já esteve sob cuidados da Fundação Casa. O caso foi registrado no 10º DP (Penha).

Tudo o que sabemos sobre:
assaltorefémzona leste

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.