Quatro são acusados por tráfico de mulheres no interior de SP

Suspeitos atuariam convencendo as vítimas a trabalhar em Portugal no período entre 2000 e 2002

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

26 Fevereiro 2010 | 08h59

Quatro pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público Federal (MPF) em Jales, no interior de São Paulo, por tráfico de mulheres para Portugal.

 

Os suspeitos foram denunciados por promover ou facilitar a saída de mulheres da região para exercer a prostituição ou outra forma de exploração sexual em Portugal entre os anos 2000 e 2002.

 

Segundo a acusação, Luiz Cláudio Pereira, Aldrolando Matos, vulgo ''Wando'', Fabrício Alexandre dos Santos, o ''Bibiu'', e Cleber da Anunciação Alves, conhecido como "Kléber", atuariam em conjunto para aliciar suas vítimas.

 

O MPF apurou que os acusados aliciavam mulheres brasileiras para se prostituírem na boate Palm Beach, localizada em Figueira da Foz, Portugal. A propriedade pertenceria a José Manuel Ferreira Coimbra Barreira, que foi condenado pela Justiça portuguesa a 4 anos e 9 meses de prisão, pelo crime de tráfico de mulheres, em 19 de abril de 2004.

 

Algumas vítimas sabiam que iam para a boate se prostituir, mas outras pensavam que era para trabalhar no bar e ganhar comissão nas bebidas. Quando chegavam ao local, eram obrigadas a se prostituírem, pois o dono da boate não deixava elas irem embora e as ameaçava, além de cobrar alimentação e passagem de ida da conta das brasileiras, como modo de fazer com que elas permanecessem na boate.

 

As vítimas eram levadas até a agência de turismo Albano's Viagens e Turismo LTDA (Ilha Solteira Turismo LTDA), empresa administrada por Carlos Roberto Gomes, também conhecido como Roberto Albano, morto em janeiro de 2007.

Mais conteúdo sobre:
tráfico mulheres interior São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.