Quatro PMs são suspeitos de matar jovem já rendido

Policiais foram presos acusados de simular confronto; eles alegam que garoto de 16 anos foi abordado após assalto

WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

17 Janeiro 2013 | 02h04

Quatro policiais militares foram presos na segunda-feira acusados de simular um confronto e matar um adolescente de 16 anos em Cidade A. E. Carvalho, na zona leste de São Paulo. As investigações são conduzidas pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e pela Corregedoria da PM.

As apurações preliminares apontam que o sargento Carlos Alberto Ferreira da Silva e os soldados Washington José Custódio, Alex Silva Alves e Amauri Azevedo Goulart mataram o adolescente na Rua Rock Estrela, por volta da 0h30 de domingo.

Segundo os policiais, o rapaz teria participado do roubo a uma residência com a ajuda de outro homem, maior de idade, que conseguiu escapar e não havia sido localizado até as 20h de ontem.

Os policiais foram presos em flagrante porque teriam assassinado o adolescente mesmo depois de apreendê-lo, sem que oferecesse qualquer perigo a eles. Segundo a PM, as armas dos policiais e uma pistola que seria do adolescente foram apreendidas e encaminhadas para perícia.

Os PMs estão detidos no Presídio Militar Romão Gomes. A polícia não informou se eles têm advogado.

A Secretaria da Segurança Pública e a Polícia Militar informaram que "não toleram crimes nem desvios de agentes de Estado e que, em todos os casos em que ocorrer algum tipo de desvio, os fatos serão rigorosamente apurados, para aplicação das medidas legais cabíveis".

Outro caso. No dia 4, seis policiais militares foram presos sob a acusação de matar Fernando Ferreira Ribeiro, de 17 anos, e os irmãos Alan, de 18, e Tiago Rodrigues Alves, de 23, depois de abordagem feita ao lado do Terminal Rodoviário de Poá, na Região Metropolitana de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.