Quatro perguntas para...

Nina Orlow

O Estado de S.Paulo

16 Janeiro 2013 | 02h06

1.Como é possível aumentar o índice da coleta seletiva em São Paulo de 1% para 10%, como quer o prefeito Fernando Haddad (PT)? Estruturando as cooperativas de catadores, com mais centrais de triagem que incluam e remunerem os catadores. A coleta dos resíduos orgânicos, que hoje vão para o aterro sanitário, também deve ser implantada com sistemas de compostagem.

2.Quais os principais empecilhos? O grande desafio é pensar o sistema de forma integrada - do ponto de vista ambiental, social e da eficiência econômica - e ter uma gestão descentralizada, participativa e transparente. Cidadãos, Prefeitura e empresas também têm de dar exemplo (com escolhas sustentáveis).

3.Qual impacto ambiental gera o atraso nas melhorias da coleta seletiva? Isso sobrecarrega os aterros sanitários, que são pagos com dinheiro público, e significa enterrar matéria prima.

4.Em sua opinião, qual índice seria ideal para a coleta seletiva na capital? O Programa Cidades Sustentáveis, cuja plataforma foi assinada pelo prefeito quando ele era candidato, tem vários exemplos de sucesso. Se todos nós fizermos a nossa parte, é possível chegar ao ideal de 80% de reciclagem. Ou seja, se empresas assumirem a responsabilidade de reciclar o que geram, se o cidadão se conscientizar, e se o governo fomentar ações. Não é simples, mas é possível. / DIEGO ZANCHETTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.