Quatro perguntas para...

Edsom Ortega

/ MÔNICA REOLOM, O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2012 | 03h04

1. Por que oferecer curso de mandarim à agentes da Guarda Civil Metropolitana (GCM)? Para facilitar a comunicação dos agentes com comerciantes, turistas e moradores oriundos de países orientais. O curso visa ainda a grandes eventos no Brasil, como a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016.

2. Como foram selecionados os 80 guardas-civis para o curso?

Foram priorizados os agentes que atuam na região central da cidade e em locais com grande quantidade de turistas, como guardas da Inspetoria de Operações Especiais (IOPE), da unidade da corporação que atua no combate ao comércio ilegal e os que trabalham na central de videomonitoramento integrado (Cetel), que precisa de atendentes capacitados na mediação na língua chinesa. Os melhores colocados farão um curso de 30 dias na China.

3. Em que outras línguas a GCM foi capacitada? Em dois anos, 92 guardas foram capacitados em inglês e espanhol. No período, 60 agentes se formaram em capacitação turística por meio de uma parceria da São Paulo Turismo e do Senac.

4. Há intenção de promover mais cursos? Há previsão de iniciar em novembro cursos de aprimoramento em inglês e espanhol. Já aulas de mandarim terão início somente após a conclusão deste curso, daqui a 18 meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.