Quatro lésbicas são agredidas em lanchonete em Taboão da Serra

Vítimas contaram que uma desconhecida, acompanhada de dois homens e uma mulher, se aproximou delas e as agrediram; espancadores fugiram em carro, mas clientes anotaram a placa

Pedro da Rocha, Central de Notícias

11 Janeiro 2011 | 20h17

SÃO PAULO - Mais um caso de agressão com indícios de homofobia ocorreu por volta das 0h10 de segunda-feira, 10, em uma lanchonete na rua do Tesouro, no centro de Taboão da Serra. Quatro mulheres lésbicas foram agredidas por dois homens e duas mulheres sem motivo aparente. Encaminhadas ao pronto-socorro Doutor Akira Tada, elas não correm risco de morte.

 

À Secretaria de Segurança Pública (SSP) as vítimas, uma coordenadora, de 30 anos, uma auxiliar administrativa, de 32, uma auxiliar de cobrança, de 21, e uma supervisora, de 31, contaram que uma desconhecida, acompanhada de dois homens e uma mulher, se aproximou delas e as agrediram. Um professor, de 37 anos, que estava com elas, não sofreu violência.

 

Segundo a gerente da lanchonete, as vítimas não tiveram comportamento inadequado ou provocativo em nenhum momento. Os espancadores fugiram em um veículo Renault Clio, mas clientes conseguiram anotar a placa.

 

A SSP informou que, ao chegar ao local, a perícia foi prejudicada por a lanchonete ter sido limpa e organizada, ocultando as evidências do crime. O celular da coordenadora sumiu na confusão. Uma aliança foi encontrada e apreendida.

 

As mulheres acreditam terem sido vítimas de homofobia. Elas foram encaminhadas ao Instituto Médico Legal (IML) para exame. O 1º DP de Taboão da Serra investigará o ocorrido, mas ainda não identificou os suspeitos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.