Quarteirão abandonado do São Vito agora atrai drogados

Prefeitura interrompeu obras na área, que ficou isolada por tapumes, não tem vigilância e está próxima da cracolândia

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2010 | 00h00

Totalmente desocupado há seis meses, isolado com tapumes, sem vigilância e a 15 minutos da cracolândia, o abandonado quarteirão que abriga os Edifícios São Vito e Mercúrio, no Parque D. Pedro, atraiu outro símbolo de degradação: viciados em crack. Ontem à tarde, havia ao menos quatro homens e uma mulher consumindo crack na área cercada pelos tapumes.

O consumo da droga é no edifício ao lado do São Vito, também interditado e que será demolido. Entrar no complexo formado pelos três prédios é fácil porque os tapumes que os isolam são frágeis e cinco pontos estão soltos. Além disso, a parede erguida pela Prefeitura para lacrar a entrada do Mercúrio foi derrubada pelos viciados. Lá dentro, eles podem se drogar sem ser vistos.

Disputa. O quarteirão está abandonado por causa de pendência judicial. A Prefeitura quer demoli-lo e começou o serviço em junho, após anos de promessas de construção de um parque no local. Mas liminar da Fazenda Pública, de julho, paralisou o processo. A Justiça analisa recurso da Prefeitura. A Defensoria Pública do Estado e entidades civis defendem que o lugar seja reformado e os prédios virem imóveis populares.

Ao ser informada da invasão, a Prefeitura disse que enviaria equipes da Subprefeitura da Sé, da Guarda Civil Metropolitana e da Secretaria de Saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.