NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Quando sai a estação Brooklin do metrô?

Atraso no cronograma deve arrastar as obras até 2017; prolongamento da Linha 5-Lilás ligará o bairro à Chácara Klabin

Luiz Felipe Barbiéri, O Estado de S. Paulo

24 de setembro de 2015 | 16h24

Prometida para 2014, a Estação Brooklin da Linha 5 (Lilás) do Metrô ainda não engrenou.  Na verdade, ela começa a tomar forma no cruzamento das avenidas Santo Amaro e Roque Petroni Júnior. Com as obras atrasadas, o Governo do Estado prometeu que entregará a plataforma só no primeiro semestre de 2017.

Até lá, Nalissa Tavares, auxiliar de escritório no Brooklin e moradora da extrema zona sul, vai continuar pegando dois ônibus e um trem para chegar ao trabalho. “Vou economizar tempo e dinheiro com a estação”, diz Nalissa. Hoje, ela pega uma condução até o Terminal Santo Amaro, um trem até o Morumbi e mais um ônibus até o bairro. Com a plataforma pronta, bastará um ônibus até Santo Amaro, na Linha 5-Lilás, e de lá o metrô até a Estação Brooklin.

Moradora do bairro, Melina Gandolfi Baptistella acredita que o metrô vai facilitar a vida de quem mora na região. 'Vai ajudar muito na locomoção. Hoje, só tem a Linha Esmeralda aqui perto e às vezes temos que fazer muitas baldeações para chegar', explica.

A extensão da Linha 5 inclui um trecho de 11,5 km, que ligará o Largo Treze, no bairro de Santo Amaro, à Chácara Klabin, na Linha 2-Verde.  Até agora, das onze estações previstas no prolongamento, apenas a Adolfo Pinheiro está em operação.

As obras estão em andamento desde 2011, mas o ‘Tatuzão’, uma máquina que escava e concreta ao mesmo tempo e é indispensável para a construção dos túneis, chegou ao Brooklin somente em maio de 2015.

O Governo alegou problemas de ordem ambiental e em desapropriações para justificar o atraso de quase três anos. Além disso, a administração estadual também culpa a falta de financiamento do governo federal pela série de atrasos nas obras de mobilidade.

Atraso é o que não vai mais preocupar a farmacêutica Vanessa Moreira. Moradora do Capão Redondo, na zona sul, ela só precisará pegar o metrô em seu bairro e seguir direto até o Brooklin. “Eu trabalho aqui na Professor Vicente Rao [continuidade da Avenida Roque Petroni Júnior] e como não tem metrô pra cá, pego um ônibus, o Terminal Capelinha. Mas acho que o metrô é mais rápido.”

De acordo com o Governo do Estado, a Estação Brooklin deverá receber 30 mil pessoas por dia. O projeto prevê a construção de duas plataformas laterais, 24 escadas rolantes, cinco elevadores e banheiros masculinos e femininos. São 8100 metros quadrados de área e 24 metros de profundidade. Hoje, os moradores do Brooklin são atendidos pela Linha 9-Esmeralda da CPTM com duas estações próximas: Berrini e Morumbi. A Estação Brooklin atenderá a região do Brooklin Velho, nas proximidades do Jardim das Acácias e do Campo Belo.

Tudo o que sabemos sobre:
bairrosspbrooklinmetrôestação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.