Qualidade dobra em 14 anos e leva em conta até urubu

Nos últimos três anos, o Índide de Qualidade de Aterros e Resíduos (IQR) dos municípios paulistas teve ligeira queda. No ano passado, ficou em 8,3; em 2010, em 8,4; em 2009, em 8,5. O número vai de zero (pior) a dez (melhor) e leva em conta vários fatores, da permeabilidade do solo à presença de urubus.

O Estado de S.Paulo

10 Abril 2012 | 03h02

Quando a comparação é mais antiga, a evolução é significativa. Em 1997, o índice era 4, o que significa melhora de 107% em 14 anos. A quantidade de resíduos sólidos dispostos adequadamente também aumentou, passando de 10,9% do total em 1997 para 82,8% em 2011.

Segundo a Cetesb, a planilha convencional - usada pela última vez em 2011 - mostra ainda uma evolução nas políticas adotadas pelos municípios. Em 1997, o número de cidades com disposição inadequada de resíduos sólidos chegava a 77,8%. No ano passado, correspondeu a 3,6%. /A.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.