Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Quadrilhas aproveitam feriado e explodem agências em duas cidades do interior

Agência era a única em operação em Tapiraí e vai ficar interditada para reforma; usuários terão de viajar a cidades vizinhas

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

30 Março 2018 | 15h56

SOROCABA – Criminosos aproveitaram o feriado religioso desta sexta-feira, 30, para explodir agências bancárias em Tapiraí e Vargem Grande do Sul, pequenas cidades do interior de São Paulo.

+++ Lancha atropela cinco banhistas e mata dois em Angra dos Reis

Em Tapiraí, no sudoeste paulista, os criminosos usaram explosivos para detonar os caixas eletrônicos de uma sede do Bradesco, mas o impacto das explosões destruiu também o prédio do banco. A agência era a única em operação na cidade e vai ficar interditada para reforma. Usuários do banco, entre os 8 mil moradores do município, terão de viajar para cidades vizinhas. Esse foi o sétimo ataque com explosivos à mesma agência em seis anos.

+++ Bando explode terceira agência bancária em três dias no interior de São Paulo

A ação aconteceu por volta de 2h30 e os bandidos dispararam em direção à base da Polícia Militar, na mesma rua, mas ninguém foi atingido. Até a tarde desta sexta, nenhum suspeito tinha sido preso.

+++ Doria autoriza instalação de bandeiras do Brasil em pontes sem consultar Conpresp

Em Vargem Grande do Sul, de 40 mil moradores, na região nordeste do Estado, uma quadrilha explodiu uma agência do Santander. O ataque aconteceu por volta das 3h30 e assustou os moradores porque os criminosos já chegaram fazendo disparos. Testemunhas relataram ter ouvido duas fortes explosões. Ao menos dois caixas foram detonados e o bando saqueou o dinheiro.

Antes da fuga, a quadrilha ainda tentou explodir uma agência do banco Itaú, mas o alarme disparou. Eles fugiram, deixando uma ferramenta conhecida como pé-de-cabra no local. Uma parte da quadrilha entrou também na agência do Bradesco, mas não conseguiu concretizar o assalto. O valor levado da agência do Santander não foi informado. A Polícia Militar montou cerco na região, mas não prendeu ninguém. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.