Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Quadrilha seria responsável por 30 ataques contra imóveis e caixas em SP, diz Deic

Bando era especializado em roubos e furtos de residência em bairros nobres da capital paulista; Dez morreram em confronto com a polícia

O Estado de S.Paulo

04 Setembro 2017 | 15h34

SÃO PAULO - Policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) afirmaram nesta segunda-feira, 4, que a quadrilha que invadiu uma residência no Jardim Guedala, zona sul da cidade,  seria responsável por 30 ataques contra imóveis e caixas eletrônicos em diversas cidades de São Paulo e outros Estados.

Durante a operação realizado no domingo, 3, dez suspeitos de integrarem o bando morreram em um tiroteio com policiais civis no Jardim Guedala, região do Morumbi. Quatro policiais ficaram feridos por estilhaços no confronto.

Segundo investigações dos policiais do Deic, a organização criminosa era especializada em roubos e furtos cujos alvos eram residências em bairros nobres da cidade de São Paulo, especialmente nos bairros do Morumbi e do Jardim Europa, na Zona Sul. Também em condomínio de luxo nos municípios de Cotia e de Barueri, na Região Metropolitana.

Os policiais conseguiram descobrir o imóvel alvo quando a invasão estava se desenrolando. Pelo menos 10 homens, fuzis e no mínimo dois carros blindados estavam no local, segundo o Deic.

De acordo com a polícia, a quadrilha obteve informações da movimentação policial e decidiu abrir fogo contra as equipes do Deic. Em seguida ocuparam os dois veículos e saíram para lados opostos. 

Um dos carros atingiu uma viatura durante a fuga e o outro um poste. Os ocupantes atiraram contra os policiais, mas acabaram feridos.

Os líderes Misael Pereira Bastos, o Sassa, e Felipe Macedo de Azevedo, o Miojo estavam entre os feridos. Ambos eram procurados pela Justiça. No total foram apreendidos quatro fuzis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.