Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Quadrilha seria responsável por 30 ataques contra imóveis e caixas em SP, diz Deic

Bando era especializado em roubos e furtos de residência em bairros nobres da capital paulista; Dez morreram em confronto com a polícia

O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2017 | 15h34

SÃO PAULO - Policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) afirmaram nesta segunda-feira, 4, que a quadrilha que invadiu uma residência no Jardim Guedala, zona sul da cidade,  seria responsável por 30 ataques contra imóveis e caixas eletrônicos em diversas cidades de São Paulo e outros Estados.

Durante a operação realizado no domingo, 3, dez suspeitos de integrarem o bando morreram em um tiroteio com policiais civis no Jardim Guedala, região do Morumbi. Quatro policiais ficaram feridos por estilhaços no confronto.

Segundo investigações dos policiais do Deic, a organização criminosa era especializada em roubos e furtos cujos alvos eram residências em bairros nobres da cidade de São Paulo, especialmente nos bairros do Morumbi e do Jardim Europa, na Zona Sul. Também em condomínio de luxo nos municípios de Cotia e de Barueri, na Região Metropolitana.

Os policiais conseguiram descobrir o imóvel alvo quando a invasão estava se desenrolando. Pelo menos 10 homens, fuzis e no mínimo dois carros blindados estavam no local, segundo o Deic.

De acordo com a polícia, a quadrilha obteve informações da movimentação policial e decidiu abrir fogo contra as equipes do Deic. Em seguida ocuparam os dois veículos e saíram para lados opostos. 

Um dos carros atingiu uma viatura durante a fuga e o outro um poste. Os ocupantes atiraram contra os policiais, mas acabaram feridos.

Os líderes Misael Pereira Bastos, o Sassa, e Felipe Macedo de Azevedo, o Miojo estavam entre os feridos. Ambos eram procurados pela Justiça. No total foram apreendidos quatro fuzis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.