Quadrilha sequestra porteiro e faz arrastão

Armados com fuzis, metralhadoras e pistolas, pelo menos 18 bandidos se fizeram passar por policiais para entrar em condomínio em Santo Amaro

Elvis Pereira, Bruno Lupion, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2010 | 00h00

Disfarçados de policiais civis, assaltantes sequestraram anteontem o porteiro de um condomínio de luxo em Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, para invadir o local. O bando fez quatro reféns e recolheu joias, relógios, telefones e dinheiro. A PM chegou em meio à ação e foi recebida a tiros. A quadrilha fugiu e, até a noite de ontem, ninguém havia sido preso.

Relatos indicam que o bando era formado por pelo menos 18 homens. Eles estavam armados com pistolas, metralhadoras e um fuzil. Além de distintivos, vestiam coletes à prova de balas com a inscrição da Polícia Civil.

Os criminosos deram início ao plano no fim da tarde de terça-feira. Ocupando três carros, eles cercaram o Corsa Classic do vigia A.A.S., de 41 anos, que acabara de deixar sua casa no Capão Redondo, na zona sul, rumo ao trabalho. Três ladrões vestidos de calça jeans e camiseta, dois deles com distintivos da polícia, desceram dos veículos e disseram que o levariam à delegacia.

Um dos automóveis do bando, segundo o vigia, era um Fiat Idea vermelho. Depois de ser colocado no veículo, o vigia soube da real intenção da quadrilha. Os ladrões chegaram a dizer para o refém que o seguiam havia três meses, estavam com a família dele e que seria morto se não cumprisse as ordens do bando.

Guarita. No percurso até o condomínio - cada casa está avaliada em cerca de R$ 1,5 milhão -, os bandidos circularam com o refém por uma favela e o agrediram com tapas. No início da noite, levado pelos criminosos, o vigia chegou ao trabalho como se nada tivesse acontecido. Assumiu seu posto e, pouco depois, abriu o portão para os ladrões. Além dele, estava na guarita o porteiro A.S.S., de 31 anos. "Eles me colocaram dentro do banheiro da guarita e um deles ficou me vigiando", disse. Um dos vigias ficou na guarita para disfarçar a ação do bando.

Em seguida, dois criminosos renderam o empresário S.L.P., de 57 anos, que fora ao condomínio para visitar a filha. Ele seguiu com a dupla até a casa dela. No imóvel estava apenas seu genro, o engenheiro J.F.P., de 37 anos. Ali, recolheram dez anéis, pulseiras e um relógio, além de cartões bancários e documentos.

Outros dois assaltantes dominaram o empresário C.A.M., de 56 anos, e o filho dele, D.P.M., de 20. Os dois saíam de casa para jantar quando se depararam com os ladrões. Voltaram e viram o bando recolher 7 colares, 3 telefones celulares, 4 canetas e 11 relógios, entre eles, relógios da marca Montblanc.

Ao perceber a invasão, a mulher do síndico acionou a PM. Os policiais foram recebidos a tiros, mas ninguém ficou ferido.

PRESTE ATENÇÃO...

1. Siga as regras de segurança do condomínio, como aguardar liberação para deixar entrar um visitante.

2.Ao entrar na garagem, acenda a luz interna do carro ou abaixe o vidro para facilitar o reconhecimento.

3. Fiscalize o funcionamento dos equipamentos de segurança do prédio, como câmeras. E evite deixar o controle remoto da garagem no carro. O equipamento pode ser furtado e, depois, usado por assaltantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.