JB Neto/AE
JB Neto/AE

Quadrilha rouba caminhão e faz sequestro-relâmpago em São Paulo

'Chuparam minha manga, levaram meu dinheiro e ainda queriam roubar meu caminhão', disse a vítima

Bruno Lupion, do estadão.com.br

10 de novembro de 2010 | 02h20

SÃO PAULO - Jorge Rodrigues Silva, 51 anos, descarregava seu caminhão de mangas no Mercado Municipal, centro de São Paulo, às 22 horas desta terça-feira, 9, quando três rapazes se aproximaram e pediram para experimentar a fruta. O motorista deu uma manga para cada. Duas horas depois ele se deparou novamente com o trio, agora na frente de sua casa, na zona leste.

 

Eles o renderam, roubaram seu caminhão Mercedes Benz verde, ano 1964, e o fizeram refém por quase uma hora. O filho de Jorge viu a ação e seguiu o caminhão, que acabou interceptado pela Guarda Civil Metropolitana (GCM). Um dos ladrões foi preso e o veículo de carga, recuperado.

 

"Chuparam minha manga, levaram meu dinheiro e ainda queriam roubar meu caminhão", desabafou o motorista, feito refém em um Corsa prata por dois dos bandidos - um deles armado. Eles roubaram os R$ 500 do frete e o libertaram uma hora depois, em São Caetano do Sul, na Grande SP. Jorge acredita que o caminhão seria usado para outra ação criminosa durante a madrugada, pois foi informado que o veículo seria abandonado na Estrada do Pêssego, extremo leste da capital, na manhã desta quarta-feira, 10.

 

O filho de Jorge, de 21 anos, viu seu pai sendo rendido em frente de casa, na Vila Prudente, pegou seu carro e acompanhou o caminhão de longe, sob o temporal que caía, até encontrar uma viatura da GCM na Avenida Professor Luiz Ignácio Anhaia Mello, altura da Avenida Paes de Barros. Os guardas civis seguiram o caminhão pela Anhaia Mello e o abordaram quatro quilômetros adiante, na altura da Avenida Vila Ema.

 

Filadelfo Barbosa de Lima, 39 anos, estava na direção, desarmado, e foi encaminhado ao 56º Distrito Policial, na Vila Alpina, onde passou a noite preso. Segundo a polícia, ele admitiu ser proprietário do Corsa prata usado na ação e não tem antecedentes criminais.

 

Enquanto isso, Jorge permaneceu refém no veículo com os dois criminosos, até ser libertado, por volta da uma hora, na Avenida dos Estados, em São Caetano do Sul. "Eles ficaram discutindo se deviam me levar para um cativeiro ou me libertar, mas quando telefonaram pro celular do Filadelfo e o policial atendeu, decidiram me largar", disse o motorista. Até a manhã desta quarta-feira, 10, a dupla não havia sido presa.

Tudo o que sabemos sobre:
assaltozona leste

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.