Quadrilha recrutava adolescentes para roubar no Itaim

Jovens de Cajamar e Francisco Morato eram aliciados e recebiam armas de brinquedo para assaltar pedestres

Elvis Pereira, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2011 | 00h00

A polícia prendeu ontem cinco homens acusados de integrar uma quadrilha que recrutava adolescentes para roubar relógios e celulares no Itaim-Bibi e nos Jardins, na zona sul de São Paulo. Os jovens usavam armas de brinquedo nos assaltos.

O esquema passou a ser investigado em março, quando os assaltos eram diários. A polícia notou que 22 adolescentes flagrados roubando na região moravam nas cidades de Cajamar e Francisco Morato, na Grande São Paulo. "Começamos a estudar as coincidências e chegamos a um suspeito chamado Mineiro", contou o delegado titular do 15.º DP (Itaim-Bibi), Paulo Henry Verduraz.

Mineiro, segundo a polícia, é o apelido de Aureliano Rodrigues, de 45 anos. O nome dele é citado em oito ocorrências em que houve apreensão de adolescentes. Ele é acusado de recrutar os jovens e levá-los até o Itaim-Bibi ou os Jardins. Já nos bairros, segundo a polícia, ele entregava o revólver de brinquedo ao adolescente aliciado e indicava quem deveria ser atacado. Depois, os celulares e relógios seriam negociados em um bar na Rua Senador Feijó, no centro da capital.

Na tarde de anteontem, policiais militares detiveram um adolescente acusado de roubar um iPhone no Itaim. Ele revelou que levaria o aparelho para o mesmo bar. Policiais civis seguiram para o local e, por volta das 20h30, detiveram, além de Aureliano, Roberto Matos Barbosa, de 35 anos, Marcelo Manoel da Silva, de 30, José Domingues Gonçalves Siqueira, de 44, e Anderson Duarte Alves, de 23.

Ao notar a chegada dos policiais, Aureliano tentou fugir a pé, mas acabou preso. Foram apreendidas com o grupo seis pistolas de brinquedo, uma máquina fotográfica, R$ 510 e seis celulares - entre eles dois iPhones. A polícia informou que todos os acusados já haviam sido presos antes por roubo de telefones e joias.

"Já estávamos de olho na quadrilha. Eles aliciaram muitos meninos, mais de cem", afirmou Verduraz. Segundo ele, o grupo agia desde 2008. As investigações apontam que cabia a Aureliano recrutar os adolescentes. Barbosa, Silva e Siqueira compravam e revendiam os produtos roubados. Alves participava diretamente dos assaltos.

Argentina. O grupo se reunia frequentemente no mesmo bar. "Sempre tinha ladrão levando celular roubado lá", contou Verduraz. "Descobrimos que os relógios eram enviados para a Argentina por meio de funcionários de companhias aéreas." Isso ocorreria só quando as peças eram das marcas Rolex, TAG Heuer e Bulova. Comissários recebiam os relógios após se hospedarem em hotéis do centro da capital.

A polícia deverá agora apurar a participação do grupo em assaltos a pedestres registrados desde março no Itaim. Os presos foram autuados por roubo, receptação e formação de quadrilha. O adolescente foi apreendido.

Investigação

65

casos de assalto a pedestres no Itaim-Bibi serão investigados. A polícia suspeita de participação da quadrilha presa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.