FreeImages
FreeImages

Quadrilha que anunciava produtos pela internet e não os entregava é presa

Grupo era especializado em golpes na venda de equipamentos eletrônicos e foi detido em Lençóis Paulista, no interior

Bibiana Borba e José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2017 | 08h09
Atualizado 31 de maio de 2017 | 11h54

SÃO PAULO E SOROCABA - Um grupo de estelionatários que anunciava a venda de produtos pela internet e não os entregava é alvo de uma operação da Polícia Civil de Lençóis Paulista, na região de Bauru, no interior de São Paulo, nesta quarta-feira, 31. Até as 11h30, 13 pessoas já haviam sido presas e 14 foram conduzidas coercitivamente para depoimentos. Também foram apreendidos carros das marcas Jaguar, Corolla e Cruise, além de R$ 7 mil em dinheiro.

Os líderes da quadrilha eram dois irmãos, Tales e Thiago Martins, de 27 e 24 anos. Eles eram especializados em golpes contra compradores de eletrônicos como smartphones, computadores, drones e videogames através de websites de classificados. Ao menos 300 consumidores foram prejudicados em todo o País, conforme a investigação coordenada pelo delegado Luiz Cláudio Massa.

De acordo com a polícia, os golpes renderam aos criminosos cerca de R$ 300 mil.

"Eles anunciavam na OLX e, aproveitando-se do veículo Jaguar, que é caro e impressionava, tiravam foto dos produtos mostrando o veículo no fundo", relata o delegado.

As contas informadas para que os clientes depositassem os valores eram alugadas de outras pessoas usadas como laranjas. Todas as contas estavam registradas no município de Lençóis Paulista, onde o grupo foi localizado.

Os criminosos foram rastreados através de quebra de endereços de IP e interceptações telefônicas, segundo o delegado. A investigação começou há cerca de três meses, mas há registros mais antigos da atuação do grupo.

Com a prisão dos suspeitos, o delegado Massa espera receber mais denúncias, já que o dinheiro aparentemente movimentado pelo grupo sugere um número ainda maior de vítimas.

"Acredito que, com a prisão, apareçam mais pessoas que caíram no golpe e não denunciaram os autores", disse. Massa já apurou que existem vítimas da quadrilha em outros Estados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.