Quadrilha invade condomínio e faz arrastão em hotel do litoral

Nove homens armados burlaram sistema de segurança no local e roubaram as pessoas que estavam hospedadas

Simone Menocchi, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2008 | 17h31

Um hotel de luxo da praia de Guaratuba, em Bertioga, foi invadido na madrugada desta sexta-feira, 21, por sete homens armados com revolveres e pistolas. Por volta das 2 horas da madrugada a quadrilha fortemente armada driblou a segurança do condomínio de luxo Costa do Sol, onde há câmeras de monitoramento, e chegou ao Hotel Costa do Sol Praia Hotel. O único funcionário que estava no hotel no momento do crime, um recepcionista que também faz a função de vigia, foi rendido e obrigado a entregar as chaves dos 28 apartamentos.  Encapuzados e com armas em punho os ladrões seguraram o recepcionista e foram de apartamento em apartamento arrombando ou abrindo as portas. Todos os hóspedes dormiam no momento da abordagem e não reagiram. Os ladrões anunciavam o assalto e exigiam que os hóspedes olhassem para baixo, fazendo ameaças. "O assalto durou cerca e uma hora e vinte minutos. A quadrilha teve trabalho em arrombar as portas dos apartamentos que eles não tinham chave", contou o delegado José Aparecido Cárdia, responsável pelas investigações. Apesar do susto ninguém ficou ferido, segundo depoimento das vítimas à polícia. "Eles conseguiram manter uma certa tranqüilidade", disse o delegado, sem revelar a identidade das vítimas.  No momento do assalto havia 17 hóspedes no hotel, além do recepcionista. Em uma ação ousada, os ladrões pegavam carteiras, celulares, malas, computadores portáteis, roupas e dinheiro das vítimas. Dois carros foram roubados na fuga e abandonados na rodovia Rio-Santos pouco tempo depois. Segundo a polícia além dos sete integrantes, outros dois esperavam pela quadrilha na estrada, em uma caminhonete S-10. "Uma testemunha viu quando os ladrões abandonaram os carros e pularam sobre a caminhonete. Como não cabia todo mundo, alguns foram na caçamba". A testemunha não pode ver as placas da caminhonete.  Nesta tarde o gerente do local, de prenome Eduardo, se negava a conversar com a imprensa. "Ele mandou dizer que não pode dar detalhes, que não sabe de nada", informava o recepcionista, que também não quis ser identificado. "Estamos sem saber o que aconteceu". Apesar da negativa em dar entrevista, o recepcionista confirmou que os hospedes, apesar do assalto, continuaram no hotel para passar o final de semana. "A maioria está aqui".  Criado desde 1994 e com diárias no valor de R$ 300, o hotel é referência na praia de Guaratuba e é procurado pelo público de classe média alta. "Nunca houve um caso como este. Estamos trabalhando muito para desvendar o crime e prender os assaltantes", informou o delegado. As câmeras do condomínio poderão ajudar a polícia a identificar os autores do arrastão. Até o final desta tarde ninguém havia sido preso. Para a polícia, a quadrilha não se restringe às nove pessoas que praticaram o assalto. "Tudo indica que há mais pessoas envolvidas".  A tranqüilidade do município e do hotel, localizado às margens da praia, foi alterada. Bertioga é considerada calma, se comparada com o município do Guarujá. Neste ano Bertioga registrou seis homicídios contra três no ano passado. No Guarujá foram 32 assassinatos neste ano, contra 25 no mesmo período do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.